Última hora

Em leitura:

Síria: Governo de Damasco e rebeldes de acordo pelo abastecimento de água


Síria

Síria: Governo de Damasco e rebeldes de acordo pelo abastecimento de água

Ala’a Ibrhaim, o governador da província de Damasco, capital da Síria, anunciou através da agéncia síria Sana um acordo preliminar com os grupos rebeldes da oposição para permitir a reparação dos reservatórios de água no vale de Wadi Barada, a noroeste da capital.

Do lado dos rebeldes não foi ainda possível, contudo, confirmar o acordo, adianta a Reuters.

Situados numa zona controlada pelos rebeldes, os reservatórios de Wadi Barada servem mais de quatro milhões de pessoas, mas foram atingidos em dezembro pelos combates entre forças do regime e os grupos armados de oposição a Bashar al-Assad.

Setenta por cento dos habitantes de Damasco tiveram de procurar fontes de água alternativas, com as duas partes em conflito a trocarem acusações pelo sucedido.

Poços, geradores de água potável e camiões cisternas foram improvisados pelas organizações humanitárias a operar na província de Damasco.

As Nações Unidas lançaram mesmo um aviso de que a sabotagem ou o bloqueio de fontes de água são considerados crimes de guerra.

De acordo com o governador de Damasco, o acordo alcançado prevê a entrega pelos rebeledes da artilharia pesada que possuem, que os militantes da oposição que não sejam naturais da região que a abandonem e que unidades do exército sírio entrem na zona para a limparem de minas e de explosivos para que técnicos especializados possam trabalhar em segurança na reparação dos reservatórios.

Este acordo entre governo e rebeldes, se se vier a confirmar de ambos os lados, vai permitir aliviar a pressão sobre os habitantes da região.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

mundo

Justiça Norueguesa analisa condições de encarceramento de assassino confesso