Última hora

Última hora

À deriva no Mar da Tasmânia ou fuga premeditada?

Um australiano e a filha neozelandesa de seis anos deram à costa quase um mês depois de terem partido para uma navegação de quatro dias.

Em leitura:

À deriva no Mar da Tasmânia ou fuga premeditada?

Tamanho do texto Aa Aa

Um australiano e a filha neozelandesa de seis anos deram à costa quase um mês depois de terem partido para uma navegação de quatro dias. Um dos dois lemes do pequeno catamarã foi danificado pelo mau tempo, o que obrigou Alan Langdon a modificar a rota, que não deveria afastar-se da Nova Zelândia, e a deixar-se derivar pelo Mar da Tasmânia, rumo à Austrália.

“Encontrámo-nos numa situação em que não tínhamos muitas opções. Esperámos pelo bom tempo mas entretanto isso não aconteceu e fomos empurrados para sul e mar dentro. Não sabia que navegar só com um leme poderia ser tão difícil.”

Mas os contornos desta aventura não são claros. Os pais da criança estão no meio de um processo de custódia e no ano passado a mãe contratou um detetive para encontrar o pai e a filha que foram descobertos a viver na Austrália rural. Langdon é um navegador experiente e no catamarã de seis metros havia água e comida para bastante tempo. A sua chegada à Austrália só foi notificada às autoridades três dias depois de terem acostado porque os residentes de Ulladula reconheceram o pai e a filha nos avisos que o detetive tinha afixado na pequena localidade portuária.