Última hora

Última hora

Taça de Portugal: Sporting "cai" em Chaves mas Bruno de Carvalho segura Jesus

Um golo aos 87 minutos apurou os "tomba-gigantes" flavienses (já haviam eliminado o FC Porto) para as meias -finais; antes, o Estoril já havia eliminado a Académica e esta quarta-feira jogam Benfica-Leixões e Guimarães-Covilhã.

Em leitura:

Taça de Portugal: Sporting "cai" em Chaves mas Bruno de Carvalho segura Jesus

Tamanho do texto Aa Aa

O Sporting foi eliminado da Taça de Portugal pelo Desportivo de Chaves e confirma um momento de crise como nunca antes Bruno de Carvalho havia sentido desde que assumiu a presidência dos “leões”. Um golo do defesa central cabo-verdiano Carlos Ponck, à beira dos 90 minutos, foi o “soco” que levou a equipa de Alvalade ao tapete.


 

O Presidente do Sporting, na manhã desta quarta-feira, assumiu a “crise”, a “desilusão” e a “frustração” pela segunda época de Jorge Jesus no clube. Através de uma mensagem na rede social Facebook, Bruno de Carvalho revelou o emagrecimento do plantel já em janeiro e garantiu a preparação da próxima época ao lado de JJ (leia o comunicado na íntegra mais abaixo).




Expulso em Setúbal, Jorge Jesus voltou a ver este jogo em Chaves da bancada, mas Raúl José ia recebendo instruções por um auricular. A equipa técnica “leonina” revelou-se, contudo, incapaz de contrariar a boa organização flaviense e, depois do empate de sábado para o campeonato, já surpreendente, agora perdeu mesmo e com custos para o clube: está fora de mais uma competição.

Os flavienses já tinham eliminado o FC Porto da Taça e agora repetem a façanha diante de um “grande”, confirmando a excelente temporada que estão a fazer nesta época de regresso ao primeiro escalão do futebol português.

Tal como no sábado, o Sporting foi mais dominador, mas mais uma vez sem conseguir armar devidamente o jogo ofensivo. Bryan Ruiz, desta vez, foi titular, pegou na batuta algumas vezes, mas tirando um outro apontamento técnico sem conseguir desenhar um lance ofensivo digno de registo.


Soma-se à inoperância do ataque “leonino” a falta de rematadores de meia distância. O Sporting vive muito dependente do talento de Gelson no flanco direito e das bolas bombeadas para a área, onde Bas Dost pode desequilibrar a qualquer momento. Para o campeonato, no sábado, o holandês bisou; desta feita, ficou em branco.

O Chaves voltou a mostrar-se coeso e irreverente. Por duas vezes, Beto, ainda na primeira parte, evitou o golo dos flavienses com excelentes intervenções.

A equipa de Ricardo Soares foi ganhando confiança. O Sporting perdendo. Um mau pontapé de baliza de Sebastian Coates, aos 81 minutos, permitiu a Braga um remate em balão que obrigou Beto a uma grande defesa. Era mais um aviso.

Pouco depois, também um mau passe de Bryan Ruiz a meio do meio campo defensivo esteve na origem de uma falta de Bruno César. Na sequência do livre de Patrão, Ponck marcou aos 87 minutos.

Desespero do banco do Sporting. William Carvalho saiu e entrou o holandês Luc Castaignos. O Chaves respondeu, já nos descontos, com Renan no lugar de Braga e ainda Batatinha no de Davidson.

Os “leões” despejavam bolas para a área, mas sem ninguém a dar muita luta aos defesas flavienses.

O apito final fez eclodir a festa em Chaves. Na próxima fase, a equipa de Ricardo Soares vai encontrar o vencedor do encontro entre o Vitória de Guimarães e o Sporting de Covilhã, da II Liga, que se defrontam esta quarta-feira.


O Sporting acentua a depressão e agora já só lhe resta o campeonato, onde se mantém, à entrada para a segunda volta, a oito pontos do líder, o Benfica.

Na outra partida do dia, destes quartos-de-final da Taça de Portugal, o Estoril venceu a Académica, por 2-1, e nas meias-finais vai encontrar o vencedor do duelo entre Benfica e Leixões, da II Liga, também marcado para esta quarta-feira no Estádio da Luz.

Bruno de Carvalho segura JJ e reduz plantel

O Presidente do Sporting recorreu, uma vez mais, ao Facebook para se dirigir aos adeptos do clube para assumir a crise na equipa de futebol, a “desilusão” pela segunda época de Jorge Jesus em Alvalade.

Bruno de Carvalho revelou que o plantel vai ser reduzido já em janeiro e que a próxima época vai começar a ser preparada desde já com Jorge Jesus.


 

Eis o comentário na íntegra do Presidente do Sporting:


“Como tenho dito, a reflexão permanente faz parte dos processos de liderança.

Sem rodeios, esta época ao nível do futebol tem sido uma desilusão. Resta-nos lutar pelo campeonato. Atirar a toalha ao chão não é uma hipótese.

Todos temos uma opinião, e estas são mais vincadas quando a frustração toma conta de nós. É, nestes momentos, que as lideranças têm que ser firmes. Temos um projecto, um rumo certo, e não é uma época mal conseguida que nos deve permitir deitar a perder tudo o que foi construído, ainda por cima com tanto esforço e amor.

Estou triste, desolado, mas estados de alma não são compatíveis nem se podem confundir com as funções que assumi e que tenho tido a honra e o privilégio de exercer.

Não irei dar um passo atrás para apaziguar algumas “almas” sportinguistas, nem fazer o gosto a quem, fora e dentro do nosso Clube, quer sangue pelo sangue.

A política da exigência vai manter-se. Mas estes ciclos negativos surgem no futebol com uma força tal que, facilmente, tudo e todos são colocados em causa.

Irei, com o treinador Jorge Jesus, fazer o que nos compete, isto é, manter a coesão de um grupo que necessita de elevar os seus níveis de entrega e de acerto técnico-tático, mas, para isso, a sua auto-confiança e auto-estima têm de ser trabalhadas.

Eu sou o responsável máximo e, logo de seguida, o treinador. Precisamos do vosso apoio para mantermos esta equipa, a quem resta um objectivo que, estando difícil, não é impossível: o campeonato.

Ao mesmo tempo, e sem nos afastarmos do foco do campeonato por que lutamos, começaremos desde já a preparar e planear a próxima época desportiva.

Não estou a pedir que não se sintam frustrados nem que não critiquem. Essa pressão faz parte dos grandes Clubes e eu quero que ela exista. Apenas peço que, mesmo que tenhamos o nosso coração partido, não deixemos o nosso grande Amor abandonado pois nunca nos podemos esquecer que, em última instância, são e serão os jogadores os artistas dentro das 4 linhas.

O plantel sofrerá um emagrecimento neste mercado de inverno, o que vai fortalecer o grupo. Precisamos dos melhores focados, e determinar, mais uma vez, a linha da exigência extrema que existe neste Clube.

Quando fechou o último mercado, a comunicação social e os Sportinguistas eram quase unânimes ao afirmarem que se tinha construído um dos melhores planteis de sempre da História do Clube. Nunca alinhei nesse discurso pois a humildade e o trabalho é que, para mim, determinam isso. O resto são meros exercicios de opinião. Mas a verdade é que, de repente, passaram de bestiais a bestas o que me incomoda.

Ter elevadas expectativas tem que ser o apanágio deste Clube, mas não podemos oscilar tanto nas nossas apreciações. Existem reforços que não resultaram, um facto indesmentível, mas nem se deve generalizar nem passar do 80 para o 8.

Entendo bem a frustração e tristeza que todos sentimos, mas cá estamos para assumir as nossas responsabilidades e fazer as 3 coisas que são a receita para ultrapassar estes ciclos negativos: trabalhar, trabalhar e trabalhar!

Mas precisamos de continuar a contar com os mais de 3,5 milhões de Sportinguistas pois sem o vosso apoio, carinho e, claro, exigência máxima, a recuperação será muito mais difícil, senão mesmo impossível.

Termino como comecei: assumo, na totalidade, a desilusão que tem sido esta época ao nível do futebol, mas esta ainda não acabou. E, até acabar, temos que nos manter juntos!

Porque o Sporting Clube de Portugal é o nosso grande Amor!”



Juve Leo reclama por mais talentos da formação

Os protestos dos adeptos do Sporting já se fazem sentir há algum. As principais claques do clube têm-se mantido ao lado da equipa, incansáveis no apoio, mas após a eliminação de mais uma competição em Chaves, o líder da Juventude Leonina, o mais antigo grupo organizado de apoio, também recorreu ao Facebook para questionar os responsáveis pela atual crise.

Nuno Mendes, conhecido por Mustafa, critica algumas das declarações proferidas ao longo do último ano e meio com o foco noutros clubes, considera não fazer sentido reclamar de arbitragem quando a equipa não cumpre os mínimos para ganhar as partidas e lembra a falta de aposta de Jorge Jesus na formação de um clube com pergaminhos internacionais neste capítulo em detrimento de contratações duvidosas e algumas mesmo furadas.


 

Eis o comunicado na íntegra de Mustafa, da Juve Leo:


“Em face dos maus resultados e das exibições medíocres protagonizadas pela equipa de futebol profissional do Sporting Clube de Portugal, vem a Juventude Leonina questionar, de quem será a culpa?
Da estrutura? Da equipa técnica? Dos jogadores?

Estrutura a quem questionamos a realmente mais valia de alguns jogadores contratados, que nem na distrital têm lugar, em vez aproveitar os nossos talentos da formação que estão a dar cartas em outros clubes.

Da equipa técnica que em alguns casos tomou decisões incompreensíveis e umas quantas vezes egoísta em palavras proferidas recolhendo os louros para si mesma.

Dos jogadores que entram em campo e jogam a passo, sem atitude, sem querer.

Todos juntos não dignificam as nossas cores, as cores do Sporting Clube de Portugal.

O ano passado éramos os maiores, entramos para esta época íamos ganhar tudo, atendendo a que a base da equipa é praticamente a mesma do ano passado, tendo saído apenas dois jogadores, perguntamos o que se passa?

Uma equipa que ganha ao porto em casa, faz uma exibição brilhante em Madrid elogiada por toda a Europa, e não ganha, como todo o respeito, a um Chaves que acaba de subir de divisão e que comparado com o Sporting Clube de Portugal, nem um terço dor orçamento tem, deixa-nos envergonhados.

A toda a estrutura dizemos que basta de desculpas com arbitragem, basta de desculpa com a sorte ou o azar, como se costuma dizer, a sorte procura-se, basta de falar constantemente nas outras equipas, o que realmente nos interessa é o Sporting Clube de Portugal.

Nesta altura ninguém estará mais chateados como nós, com os milhares de euros que gastamos em prol do Sporting Clube de Portugal.

Querem criticar o presidente, treinador e jogadores, tudo bem, mas nós não podemos fazer mais nada, o que se passou este ano é o que se passa em todos os anos, chega Janeiro estamos afastados de todas as competições.

Aqui todos são culpados.

Toda a estrutura merece a contestação dos sócios, pois são eles o maior património do Sporting Clube de Portugal, são eles que suportam o clube, logo têm todo o direito a manifestarem-se.

A Juventude Leonina é totalmente contra qualquer tipo de desestabilização do Sporting Clube de Portugal. Alguns lembraram-se que o Sporting existia e saíram da toca à dois meses, única e exclusivamente para desestabilizar o Sporting Clube de Portugal, aproveitando os maus resultados da equipa.

A Juventude Leonina não participa nem compactua com campanhas políticas, a única coisa que nos move é o amor incondicional ao Sporting Clube de Portugal.

Podemos não nos manifestar, temos esse direito, pois na Juventude Leonina cada um é livre de votar no candidato que acha que melhor serve os interesses do Sporting Clube de Portugal.

O que exigimos é o respeito e a dignidade total pelo Sporting Clube de Portugal, uma instituição centenária que devia ser um orgulho para qualquer um envergar a camisola verde e branca.
Para concluir, esta situação não poderá ficar caída no esquecimento, terão que ser tomadas medidas.

Qual será a melhor solução? O Presidente? O treinador? Os jogadores?

De uma vez por todas, temos que perceber, que querem acabar com o Sporting Clube de Portugal, isso está à vista de todos. O que aconteceu este ano, passou-se durante todos estes anos.

Há um senhor que diz que querem acabar com o Sporting, por isso só nos resta unir e renascer, pois só unidos venceremos.

Independentemente dos resultados, apelamos ao mundo sportinguista, desde o adepto mais crítico ao maior apoiante, todos têm de ser responsabilizados.

Na Juventude Leonina à uma coisa que todos podem esperar, é que sempre iremos defender o nosso amor, que se chama, Sporting Clube de Portugal.”