Última hora

Com Andrea Hajagos, em Budapeste

A Hungria vive um dia de luto nacional depois da morte de 16 estudantes no acidente de um autocarro em Itália, na sexta-feira. O presidente János Áder, o primeiro-ministro Viktor Orbán e o presidente do parlamento László Kövér participaram numa cerimónia evocativa, na escola onde estudavam os jovens que morreram no desastre.

A escola tem agora de lidar não só com o luto, como também com o choque psicológico daqueles que ficaram, com contou à euronews o diretor do estabelecimento, Zoltán Csapodi: “Temos de lidar com esta grande sensibilidade. Provavelmente há crianças que não ficaram muito afetadas ou muito chocadas, mas temos de dar atenção a todos aqueles que estão abalados com o que aconteceu”.

As cerimónias de homenagem às vítimas repetiram-se em todas as escolas da Hungria. O grupo de 54 pessoas que ia no autocarro vinha desta escola de Budapeste – 11 adultos e 43 adolescentes. Regressavam a casa depois de férias numa estância de inverno em França. Além dos 16 mortos, o acidente fez 26 feridos, dos quais seis em estado grave. Dois desses feridos chegaram a Budapeste no domingo à noite.

Os Húngaros estão a mobilizar-se nesta onda de solidariedade: “Há quem venha sozinho só com uma flor e há estudantes que vêm em grupos acender velas em memória das vítimas”, testemunha a correspondente da euronews em Budapeste, Andrea Hajagos.