Última hora

Em leitura:

"La La Land" atinge recorde de nomeações para os Óscares


cinema

"La La Land" atinge recorde de nomeações para os Óscares

O neo-musical “La La Land”, com 14 nomeações, junta-se ao “Titanic” e “All About Eve” no recorde de nomeações da história dos Oscares. Mas a academia estabeleceu um outro recorde ao nomear seis atores negros e 3 filmes com temas afro-americanos.

Oito nomeações para “Moonlight” – que conta a dificuldade da vida de um negro gay, desde a infância até à idade adulta – entre as quais a de melhor filme, melhor realizador para Barry Jenkins, melhores atores secundários para Mahershala Ali e Naomie Harris e melhor argumento.

Quatro nomeações para “Fences” que segue a vida de um coletor de lixo e a família nos anos 50. Melhor filme; melhor ator, Denzel Washington; melhor atriz secundária, Viola Davis e ainda melhor argumento adaptado.

“Hidden Figures”, que é a história de três mulheres afro-americanas brilhantes que trabalham para a NASA recebeu três nomeações: melhor fotografia, melhor adaptação e melhor atriz secundária para Octavia Spencer.

O presidente da Associação de Críticos de Cinema Afro-americanos considera que: “é certamente bom para a comunidade afro-americana que um certo número de atores e criativos seja reconhecido mas faltam ainda os membros da comunidade asiática, com exceção de Dev Patel, e os latinos; também temos os muçulmanos e as mulheres que não têm tido qualquer tipo de reconhecimento ou oportunidades e estão por detrás das câmaras em postos técnicos como a realização ou a montagem. Temos ainda muito trabalho a fazer”.

Na categoria de documentário foram nomeados 2 filmes com temáticas americanas: Um, “O.J.: Made In America” sobre a carreira futebolística de O J. Simpson e o porquê de a América se ter apaixonado por ele; a acusação de mortee todo o caso até à absolvição. Depois, a forma como foi acusado julgado e condenado 13 anos depois por outro crime.

O outro, “I an not your negro”, onde o escritor James Baldwin conta a história do racismo na América com a sua novela inacabada , Remember This House.

Gil Robertson pensa que os filmes nomeados são tão poderosos pela história que contam como pela forma como mostram a vida das pessoas.

“Descobrimos a universalidade daquilo que todos vivemos. No centro de “Fences” está a luta intemporal entre um pai e um filho. Com ‘Hidden Figures’ vemos as histórias de mulheres que estão simplesmente à procura de uma oportunidade de provarem o que são capazes de fazer e isto é também universal. Em ‘Moonlight,’ temos um jovem que se debate não só com oportunidades limitadas por causa do estatuto económico da família, mas também com as questões da sua sexualidade. E isso é também algo universal”.

“La La Land” parte para estes Oscares na linha da frente com as suas 14 nomeações. Nunca na história da academia houve tantas nomeações em tantas categorias para profissionais afro-americanos da sétima arte. Isto faz-lhes prever também um recorde de oscares na cerimónia marcada para 26 de fevereiro.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
"Beatriz at Dinner" apresentado no Festival de Cinema de Sundance

cinema

"Beatriz at Dinner" apresentado no Festival de Cinema de Sundance