Última hora

Em leitura:

O sucesso da tragicomédia "Jihad" na Bélgica e em Paris


Cult

O sucesso da tragicomédia "Jihad" na Bélgica e em Paris

A peça “Jihad” conta a história de três jovens muçulmanos belgas que decidem combater na Síria.

O encenador e dramaturgo belga Ismael Saidi recorreu ao humor para abordar um tema sério.

Escrita em forma de tragicomédia, a peça e reflete a experiência pessoal do autor.

“Quando somos jovens, ouvimos muitas coisas contraditórias. O que me assusta é o facto de eu ter escrito uma peça que devia desenrolar-se há 25 anos, que não era suposto ser pertinente nos dias de hoje, para os jovens de hoje. Quando me dizem que sou um visionário, eu respondo que sou antiquado e que escrevi sobre o passado. É patético a peça parecer atual aos olhos dos jovens de hoje”, afirmou Ismael Saidi.

“Nesta peça, há um certo nível de intransigência. Para mim, obrigar uma rapariga de seis anos a usar um véu é problemático tal como ensinar às crianças que quem come carne de porco vai para o inferno. Somos nós que criamos um fosso entre as pessoas”, acrescentou o autor da peça.

A peça foi vista por 50 mil pessoas na Bélgica, nomeadamente por milhares de estudantes.

“Escrevi esta peça como uma forma de dizer ‘chega!’. Eu conheci essa realidadeao longo da minha vida e não quero que os meus filhos a conheçam. Eu sei o que representa ser filho de pais estrangeiros e ouvir discursos absurdos de imãs ou de outras pessoas. Isso tem de parar”, contou o dramaturgo belga.

Depois do sucesso na Bélgica, a peça sobe ao palco todas as semanas em Paris e tem várias apresentações previstas um pouco por toda a França.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
agenda cultural: o melhor das artes na Europa

Cult

agenda cultural: o melhor das artes na Europa