Última hora

Em leitura:

Decreto de Trump sobre imigração assusta mercados bolsistas


mercados

Decreto de Trump sobre imigração assusta mercados bolsistas

A controversa política anti-imigração de Trump e a inflação alemã em máximos de três anos e meio pesaram sobre as bolsas europeias. Os índices do Velho Continente terminam o dia no vermelho. As perdas variam entre os 0,9% de Londres e 2,95% de Milão.

Lisboa cede 2,7%, a maior descida desde junho, penalizada pelos CTT (-13,99%) e BCP (4,63%).

A nível europeu, segundo Atakan Sahin, “os titulos do setor aéreo foram os mais penalizados, devido às incertezas”. O “trader” do ICF Bank adianta: “O principio é semelhante ao dos mercados. Como vimos e ouvimos este fim de semana, mesmo as tripulações não sabem como responder a este novo decreto. É um mau sinal e as ações ressentem a pressão”.

Tal como as bolsas asiáticas e europeias, os índices nova-iorquinos seguem em baixa. Depois dos recordes da semana passada, Wall Street vive o pior dia em três meses.

O dólar cede mais de um por cento face ao iene. Já o ouro sobe, com os investidores a procurarem valores refúgio.

O veto à entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países muçulmanos faz temer uma queda na procura por viagens. Na bolsa, as ações das companhias aéreas viveram um dia negro.

A casa mãe da British Airways perdeu mais de 2% e o American Airlines Group afundou mais de 6%.