Última hora

Em leitura:

"A Bela e o Monstro": Jonh Legend acredita que o filme é uma alegoria às políticas de Trump


cinema

"A Bela e o Monstro": Jonh Legend acredita que o filme é uma alegoria às políticas de Trump

John Legend deixa um apelo à indústria do cinema: é necessário reagir contra o que chama de “mensagem de ódio e de medo de Donald Trump.
O músico, em dueto com a cantora e atriz Ariana Grande, canta a nova versão do tema do novo filme “A Bela e o Monstro”, considerado uma alegoria das novas medidas do presidente norte-americano contra a emigração e os cidadãos de sete países muçulmanos: a Bela é uma jovem feita refém pelo Monstro, que apenas a quer trocar pela liberdade.

Legend apela a um compromisso da indústria cinematográfica para que se mostre a realidade de quem quer vir para os Estados Unidos. “Acredito que neste momento em que estamos a ver o presidente Trump, que quer espalhar uma mensagem de ódio e medo, divisão e exclusão…nós enquanto criativos e produtores de conteúdos, temos o poder de contar histórias diferentes, histórias de humanidade no mundo, de quem é marginalizado, refugiados e migrantes. Esta é uma nação de imigrantes”.

O cantor sublinha ainda que “acredito no que diz a Estátua da Liberdade sobre como devemos receber gente de todo o mundo, gente que passou por dificuldades, pela guerra e pela opressão. Os Estados Unidos devem continuar a receber esspas pessoas de braços abertos e os produtores têm a responsabilidade de fazer passar esta mensagem”.

A Bela e o Monstro, que conta com Emma Watson e Dan Stevens nos papeís principais, chega aos cinemas em março.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
"A comunidade": Thomas Vinterberg regressa ao tema da família

cinema

"A comunidade": Thomas Vinterberg regressa ao tema da família