Última hora

Em leitura:

Igreja Católica alerta para o "terror" do presidente filipino


Filipinas

Igreja Católica alerta para o "terror" do presidente filipino

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, tem um novo inimigo na guerra contra as drogas que decidiu empreender e que causou já milhares de assassínios: A Igreja Católica.

E igrejas por todo o país, nas missas deste domingo, os padres aproveitaram a homilia para condenar o que chamam a campanha de terror levada a cabo por Duterte, que dizem ser uma guerra contra os pobres.

“Uma importante causa de preocupação é o reino de terror que existe nos locais pobres. Muitos são mortos sem ser por causa das drogas e os assassinos não são levados à justiça. Outra causa de preocupação é a indiferença de muitos em relação a estes crimes”, disse o padre Joselito Sarabia.

Duterte foi eleito no ano passado com a promessa de limpar o país das drogas e, desde então, foram mortas cerca de cinco mil pessoas, na maioria, pela polícia. O próprio Duterte admitiu ter cometido assassínios e exorta a polícia a matar sumariamente traficantes e consumidores de droga.

A Amnistia Internacional emitiu um relatório que denuncia inúmeros crimes e execuções sumárias, muitas vezes de pessoas inocentes e desarmadas. Geralmente a polícia age com base em meras denúnicias e sem qualquer investigação.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Roménia

Governo da Roménia cede à pressão das ruas