Última hora

Última hora

Jornalistas contestam "lista de atentados" de Trump

O presidente americano acusou a imprensa mundial de passar ao lado de uma série de atentados terroristas.

Em leitura:

Jornalistas contestam "lista de atentados" de Trump

Tamanho do texto Aa Aa

As declarações de Donald Trump, segundo as quais a Europa tinha sido alvo de uma série de ataques terroristas que nem foram noticiados pelos media está a causar reações por todo o ,undo.

Point of view

Olhando de perto para esta lista, vemos que é um completo abbsurdo.

Frank Ueberall Presidente da Associação de Jornalistas da Alemanha

Num discurso em Tampa, na Florida, Trump disse que “o terrorismo na Europa chegou a um ponto em que (aquilo a que chama) os media desonestos já não querem falar sobre o assunto”.

Para a comunicação social, as declarações de Trump não só não correspondem à verdade como são ridículas. Frank Ueberall preside à Associação de Jornalistas da Alemanha: “O problema é que ele continua a tornar públicas estas não-verdades ou semiverdades e depois age como se fossem factos aceites. Olhando de perto para esta lista, que também foi publicada aqui na Alemanha, vemos que é um completo abbsurdo”, diz.

A lista de ataques fornecida pela Casa Branca inclui os atentados de Berlim e de Nice, que foram amplamente noticiados pelos media de todo o mundo.

“Os media estão a ser desacreditados, tal como todo o sistema democrático. É um assunto que temos de abordar, discutir o que é relevante e o que não é”, acrescenta Ueberall.

A lista foi fornecida pelo assessor de imprensa Sean Spicer depois das declarações de Trump e inclui 78 ataques ou agressões cometidos em todo o mundo nos últimos dois anos, incluindo seis casos na Alemanha, todos noticiados pela comunicação social.