Última hora

Em leitura:

Ted Malloch, a polémica escolha de Trump para a UE

O homem que Donald Trump pretenderá indicar para embaixador junto da União Europeia, Ted Malloch, já se encontra debaixo de fogo. Numa entrevista ao Der Spiegel, este professor universitário de 64 anos deixou entender que o Brexit é uma antecâmara do colapso do bloco europeu, restando saber qual é o país que se segue. Afirmou também que, se trabalhasse num banco de investimentos, “apostaria contra o euro”.

No semanário austríaco News, Malloch garante que não ficaria surpreendido com a vitória de Marine Le Pen nas próximas eleições presidenciais em França.
Numa entrevista à Associated Press (ver vídeo), afirma que considera “problemático o sentimento antiamericano na UE”, que Trump “acredita que é possível estabelecer uma relação mais positiva com a Rússia” e que “há elementos do passado [da Frente Nacional francesa] que são antissemitas”, mas que “é muito exagerado chamá-los de fascistas”.

A alegada hostilidade demonstrada em relação ao bloco europeu, que chega a comparar ao bloco soviético, gerou prontamente reações em Bruxelas. O eurodeputado Gianni Pitella, da Aliança dos Socialistas e Democratas, veio lançar dúvidas sobre a credibilidade pessoal de Malloch. Ao The Guardian, o político afirmou que “o caráter de Malloch parece suscitar cada vez mais controvérsia”, invocando mesmo alguns factos contraditórios na sua autobiografia, onde declara, por exemplo, que Thatcher o considerava “um génio”.