Última hora

Em leitura:

Previsões económicas: Comissão Europeia otimista mas prudente


A redação de Bruxelas

Previsões económicas: Comissão Europeia otimista mas prudente

A recuperação económica continuam na União Europeia mas para a Comissão ainda há muitas nuvens no céu.
O executivo apresentou as previsões económicas para 2017 e 2018. Pela primeira vez desde há dez anos que o crescimento foi a nota comum para todos os países membros. Mas a Comissão continua prudente: estima que o ambiente político europeu e internacional seja mais incerto que nunca.

Esta quarta-feira, os deputados europeus vão pronunciar-se sobre o CETA, o acordo comercial entre a União Europeia e o Canadá. Sem mudanças de última hora, o texto deve ser adotado. Um dado adicional desta votação, o primeiro-ministro canadiano é esperado esta semana em Estrasburgo, como nos explica a nossa enviada Isabel Marques da Silva: “Justin Trudeau vai ser o primeiro chefe de governo canadiano a falar no Parlamento Europeu e vem para defender as vantagens do Acordo de Comércio União Europeia Canadá, ou CETA. Trudeau considera que o CETA, e cito, estabelece os standards mais elevados para os acordos de livre comércio no futuro”, o que parece não ser consensual no Parlamento. O discurso vai ser feito na terça-feira, no dia seguinte a votação que deve aprovar o tratado, com o apoio do centro direita, conservadores e liberais. Dois partidos ainda estão internamente divididos: os socialistas, no centro esquerda os eurocepticos do EFDD, na direita. Os Verdes e a Esquerda Europeia Unida estão contra. Mas ainda não está tudo pronto para que o CETA entre em vigor. Ainda tem de ser ratificado pelos parlamentos nacionais e regionais dos 28 Estados Membros, com os resultados na Bélgica e na Alemanha a serem os mais imprevisíveis”.

A Comissão Europeia é acusada de passividade pelos…funcionários da instituição. Um grupo de empregados apresentou queixa contra a Comissão pela falta de reação após o recrutamento do antigo presidente Durão Barroso pelo banco norte-americano Goldman Sachs, acusado de estar implicado na crise do “subprime” e na crise grega.

Para terminar, a partir das 11h da manhã, hora de Lisboa, acompanhe a nossa cobertura em direto do discurso do presidente austríaco no Parlamento Europeu.