Última hora

Última hora

Freedrum: Bateria com batida virtual

Em leitura:

Freedrum: Bateria com batida virtual

Tamanho do texto Aa Aa

Philip Robertson é um baterista empenhado, mas trocou o estúdio de ensaios, pelas ruas de Malmo, na Suécia.

Philip Robertson é um baterista empenhado, mas trocou o estúdio de ensaios, pelas ruas de Malmo, na Suécia. É o líder do projeto Freedrum, um kit de bateria de realidade virtual que pode ser transportado no bolso. Basta uma aplicação num tablet ou num smartphone; os sensores detetam movimentos e disparam instantaneamente diferentes sons de bateria.

“Os sensores compreendem os ângulos da batida, desta forma é possível perceber qual a bateria, a altura da batida e a intensidade. Desta forma é possível tocar suavemente ou com mais força”, diz Philip Robertson.

A ideia surgiu quando o filho do inventor quis começar a aprender bateria, aos 10 anos. Em dezembro do ano passado, o projeto Freedrum completou uma campanha de crowdfunding, no site Kickstarter, e arrecadou mais de 584 mil euros, para que esta bateria virtual possa continuar a bater.