Última hora

Última hora

Moscovici apela a "esforços" de credores e da Grécia para que haja um acordo

Apesar de Alexis Tsipras não querer ceder a mais exigências, o comissário europeu está "confiante que, se houver esforços de todas as partes" é possível "avançar e alcançar um acordo".

Em leitura:

Moscovici apela a "esforços" de credores e da Grécia para que haja um acordo

Tamanho do texto Aa Aa

Em mais uma tentativa de desbloquear as negociações entre a Grécia e os credores, o comissário europeu para os Assuntos Económicos esteve esta quarta-feira em Atenas.

Antes da importante reunião do Eurogrupo, agendada para a próxima segunda-feira, Pierre Moscovici foi recebido pelo primeiro-ministro grego.

Apesar de Alexis Tsipras não querer ceder a mais exigências, o comissário está “confiante que, se houver esforços de todas as partes” é possível “avançar e alcançar um acordo” até porque os “dados mostram que a Grécia está a recuperar”.

Mesmo que timidamente, a economia grega regressou ao crescimento no ano passado.

As negociações estão estagnadas porque o Fundo Monetário Internacional considera a dívida grega insuportável se não houver um perdão, algo que a Alemanha não quer.

Moscovici reafirma que o “FMI é um parceiro muito importante” e quer que a instituição faça parte do acordo porque, afirma, “é uma garantia, uma segurança para a Grécia”.

Atenas necessita com urgência de um acordo para que seja desbloqueada mais uma ‘tranche’ de 7 mil milhões de euros do programa de resgate.

Segundo o correspondente da euronews em Atenas, Stamatis Giannisis, “há um sentimento generalizado na Grécia que o atraso na saída da crise se deve às divergências entre os credores. Por outro lado, uma série de reformas económicas importantes ainda estão pendentes. De qualquer forma, mais atrasos na conclusão da avaliação só podem trazer mais problemas a uma economia grega já em águas extremamente agitadas”, conclui.