Última hora

A Áustria vai processar a Airbus e o consórcio aeronáutico europeu Eurofighter por fraude e corrupção, no âmbito de uma controversa venda de aviões de combate em 2003.

Segundo o Ministério da Defesa, o Governo de Viena exige uma indemnização de mais de mil milhões de euros.

O ministro da Defesa, Hans Peter Doskozil, após uma investigação, acredita que a Airbus e o Eurofighter induziram a Áustria em erro quanto ao preço e entrega de 15 caças, avaliados em cerca de dois mil milhões de euros.

Os procuradores austríacos e alemães investigam o caso há anos e esperam concluir os procedimentos preliminares até meados do ano.

O processo contra a Airbus Defesa e Espaço, a antiga EADS, surge na sequência de uma investigação do Governo, iniciada em 2012, sobre práticas corruptas no contrato de compra, em 2003, por parte da Áustria de 15 caças.

A encomenda inicial foi de 18 aviões, mas a Áustria reduziu a ordem para 15 em 2007.

O Governo austríaco alega que o valor dos caças foi impulsionado e que os equipamentos apresentavam problemas de funcionamento.

A Airbus afirmou não estar capaz de qualquer declaração uma vez que teve conhecimento do processo através da comunicação social.