Última hora

Última hora

Malásia: Autoridades detêm segunda mulher suspeita de estar ligada ao assassinato de Kim Jong-nam

Foi detida em Kuala Lumpur, na Malásia, uma segunda mulher suspeita de estar envolvida no assassinato, na segunda-feira, de Kim Jong-nam, meio-irmão do líder da Coreia do…

Em leitura:

Malásia: Autoridades detêm segunda mulher suspeita de estar ligada ao assassinato de Kim Jong-nam

Tamanho do texto Aa Aa

Foi detida em Kuala Lumpur, na Malásia, uma segunda mulher suspeita de estar envolvida no assassinato, na segunda-feira, de Kim Jong-nam, meio-irmão do líder da Coreia do Norte.

As autoridades da Malásia detiveram, até ao momento, duas mulheres.

Uma suspeita terá 24 anos e nacionalidade indonésia. A outra, quando foi detida ontem, tinha em sua posse um passaporte vietnamita e terá 28 anos.

O corpo de Kim Jong-nam encontra-se num hospital de Kuala Lumpur para a realização da autópsia.

As autoridades malaias ainda não divulgaram qual foi a causa da morte e tinham identificado a vítima como Kim Chol, nascido em Pyongyang em junho de 1970, conforme o passaporte encontrado na sua posse.

No entanto, as autoridades da Coreia do Sul confirmaram que o norte-coreano assassinado num aeroporto da Malásia era Kim Jong-nam, meio-irmão mais velho de Kim Jong-un, o líder da Coreia do Norte.

Seul confirmou a identidade através da análise das impressões digitais.

Kim Jong-nam, filho mais velho do falecido líder da Coreia do Norte Kim Jong-Il, estaria a aguardar um voo para Macau.

Foi assassinado, na segunda-feira, alegadamente por duas mulheres que, se acredita, estariam ao serviço da Coreia do Norte.

Kim Jong-nam chegou a ser considerado o provável sucessor do pai, que morreu em 2011, mas caiu em desgraça no início do século XXI.