Última hora

Em leitura:

Solidez da NATO depende da contribuição financeira


mundo

Solidez da NATO depende da contribuição financeira

Os membros da NATO têm que assumir as responsabilidades financeiras sob pena da aliança se tornar menos sólida.

A reunião dos ministros da Defesa da Aliança Atlântica na quarta-feira clarificou a mensagem da nova administração norte-americana.

Os estados têm que abrir os cordões à bolsa, como definido em 2014. Senão, o empenho norte-americano será menos consistente.

Alguns membros como o Reino Unido já cumprem mas há Estados com outras prioridades, como a Holanda, a Bélgica e a Dinamarca que preferem gastar em Saúde e Educação.

A Itália e Espanha, duas das maiores economias europeias, gastam 1% e precisam tentam limitar despesas face à crise económica atravessam.

“Todos os membros da NATO têm que contribuir com uma parte justa. Por isso, outros países têm que acelerar o compromisso para gastar os dois por cento que todos concordamos há dois anos e meio no País de Gales”, explicou o ministro da Defesa do Reino Unido, Michael Fallon.

O secretário-geral da NATO salientou que a concretização dessa meta tem sido uma das suas prioridades e que no ano passado houve um aumento de 3,6% nas contribuições.

Jens Stoltenberg referiu que aliança enfrenta os maiores desafios de uma geração.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Venezuela

Maduro impede CNN em espanhol de transmitir no país e acusa o canal de "difamação"