Última hora

Em leitura:

O Óscar de Melhor Atriz vai para...


cinema

O Óscar de Melhor Atriz vai para...

A cerimónia de entrega dos Óscares, os prémios da Academia de Cinema dos Estados Unidos da América ocorre este domingo.

Uma das categorias mais esperadas é a de Melhor Atriz.

A francesa Isabelle Huppert arrecadou, já, este ano o Globo de Ouro de Melhor Atriz dramática. Agora, está nomeada para a mesma categoria dos Óscares de 2017, pelo seu papel em “Ela” de Paul Verhoeven, sobre uma mulher que procura vingar-se depois de ter sido violada.

Esta é a primeira indicação para um Óscar de Isabelle Huppert.

“Quando um papel é tão bom e quando o realizador tem uma visão tão precisa do que faz, não precisamos de ser ajudados. Deixamo-nos levar, dia a dia, imagem por imagem, movimento de câmara por movimento de câmara. Todas as questões que poderíamos ter são respondidas pela realização brilhante”, ressalva a atriz francesa.

Emma Stone não só arrecadou um Globo de Ouro, como melhor atriz de comédia ou musical, como levou para casa o Screen Actors Guild Awards, na categoria de Melhor Atriz, pela sua interpretação em “La La Land”.

Agora está nomeada para um Óscar.

Stone interpreta Mia, uma aspirante a atriz que se apaixona por um pianista de jazz. Os dois tentam encontrar um caminho para o êxito.

Esta é a segunda nomeação para Emma Stone. Em 2014 foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz Secundária pelo seu papel em “Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância, de Alejandro Iñarittu”.

A atriz Ruth Negga é um dos novos nomes nas nomeações, deste ano. A irlandesa está nomeada pelo papel em “Loving”.

Negga encarna Mildred, uma mulher afro-americana cujo amor por Richard, o seu marido branco, acaba por mudar as leis que proíbem casamentos inter-raciais nos Estados Unidos.

Esta é a primeira nomeação de Ruth Negga.

Para Negga, “o importante é que as pessoas vejam o filme e creio que, talvez, se se tiver uma nomeação para o Óscar, a esperança é que se tenha acesso a mais trabalho ou que fique na mente das pessoas. Não se trata de deitar a porta abaixo, com um pontapé, mas abri-la, suavemente.”

Meryl Streep está, mais uma vez, nomeada para um Óscar. Desta feita, pela participação no filme “Diva fora de tom” que retrata a história, verídica, de Florence Foster Jenkins, uma herdeira de Nova Iorque que aspirava ser cantora de ópera, nos anos 40 do século passado, mas tinha uma voz terrível.

Esta é a 20ª indicação ao Óscar para Meryl Streep. A atriz já arrecadou três.

Melhor Atriz Secundária por “Kramer contra Kramer”, em 1979, e como Melhor Atriz em 1982 por “A escolha de Sofia” e em 2011, com “A dama de Ferro”.

Natalie Portman fecha as nomeações para Melhor Atriz.

“Jackie” é o papel que lhe vale a terceira nomeação para um Óscar.

Portman dá vida à icónica Jackie Kennedy a antiga primeira-dama dos Estados Unidos, viúva do presidente assassinado John F. Kennedy.

Natalie Potman foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz Secundária em 2004, por “Perto Demais”, o filme de Mike Nichols.

Em 2010, leva a estatueta de Melhor Atriz com “Cisne Negro”, de Darren Aronofsky.

Em 2016, a vencedora foi Brie Larson pelo seu papel em “O Quarto”.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

cinema

Palmarés europeu (e português) do Festival de Cinema de Berlim