Última hora

Em leitura:

O Óscar de Melhor Atriz vai para...


cinema

O Óscar de Melhor Atriz vai para...

A cerimónia de entrega dos Óscares, os prémios da Academia de Cinema dos Estados Unidos da América ocorre este domingo.

Uma das categorias mais esperadas é a de Melhor Atriz.

A francesa Isabelle Huppert arrecadou, já, este ano o Globo de Ouro de Melhor Atriz dramática. Agora, está nomeada para a mesma categoria dos Óscares de 2017, pelo seu papel em “Ela” de Paul Verhoeven, sobre uma mulher que procura vingar-se depois de ter sido violada.

Esta é a primeira indicação para um Óscar de Isabelle Huppert.

“Quando um papel é tão bom e quando o realizador tem uma visão tão precisa do que faz, não precisamos de ser ajudados. Deixamo-nos levar, dia a dia, imagem por imagem, movimento de câmara por movimento de câmara. Todas as questões que poderíamos ter são respondidas pela realização brilhante”, ressalva a atriz francesa.

Emma Stone não só arrecadou um Globo de Ouro, como melhor atriz de comédia ou musical, como levou para casa o Screen Actors Guild Awards, na categoria de Melhor Atriz, pela sua interpretação em “La La Land”.

Agora está nomeada para um Óscar.

Stone interpreta Mia, uma aspirante a atriz que se apaixona por um pianista de jazz. Os dois tentam encontrar um caminho para o êxito.

Esta é a segunda nomeação para Emma Stone. Em 2014 foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz Secundária pelo seu papel em “Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância, de Alejandro Iñarittu”.

A atriz Ruth Negga é um dos novos nomes nas nomeações, deste ano. A irlandesa está nomeada pelo papel em “Loving”.

Negga encarna Mildred, uma mulher afro-americana cujo amor por Richard, o seu marido branco, acaba por mudar as leis que proíbem casamentos inter-raciais nos Estados Unidos.

Esta é a primeira nomeação de Ruth Negga.

Para Negga, “o importante é que as pessoas vejam o filme e creio que, talvez, se se tiver uma nomeação para o Óscar, a esperança é que se tenha acesso a mais trabalho ou que fique na mente das pessoas. Não se trata de deitar a porta abaixo, com um pontapé, mas abri-la, suavemente.”

Meryl Streep está, mais uma vez, nomeada para um Óscar. Desta feita, pela participação no filme “Diva fora de tom” que retrata a história, verídica, de Florence Foster Jenkins, uma herdeira de Nova Iorque que aspirava ser cantora de ópera, nos anos 40 do século passado, mas tinha uma voz terrível.

Esta é a 20ª indicação ao Óscar para Meryl Streep. A atriz já arrecadou três.

Melhor Atriz Secundária por “Kramer contra Kramer”, em 1979, e como Melhor Atriz em 1982 por “A escolha de Sofia” e em 2011, com “A dama de Ferro”.

Natalie Portman fecha as nomeações para Melhor Atriz.

“Jackie” é o papel que lhe vale a terceira nomeação para um Óscar.

Portman dá vida à icónica Jackie Kennedy a antiga primeira-dama dos Estados Unidos, viúva do presidente assassinado John F. Kennedy.

Natalie Potman foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz Secundária em 2004, por “Perto Demais”, o filme de Mike Nichols.

Em 2010, leva a estatueta de Melhor Atriz com “Cisne Negro”, de Darren Aronofsky.

Em 2016, a vencedora foi Brie Larson pelo seu papel em “O Quarto”.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Palmarés europeu (e português) do Festival de Cinema de Berlim

cinema

Palmarés europeu (e português) do Festival de Cinema de Berlim