Última hora

O Business Planet veio até Brno, a segunda maior cidade da República Checa, inserida numa região considerada a Silicon Valley da Europa Central. Porque é que as empresas do setor tecnológico se desenvolvem tão rapidamente aqui – algumas estão mesmo a conquistar os mercados internacionais -, e que tipo de acompanhamento recebem?

Rostislav Vocilka tem todas as razões para se sentir orgulhoso. A Flowmon, a PME que criou, concebeu uma das inovações mais recompensadas dos últimos anos em matéria de segurança informática. Trata-se de um produto que complementa a atividade dos antivírus, detetando eventuais falhas dos sistemas informáticos para prevenir ciberataques.

“Somos a única empresa europeia a ser reconhecida no ranking do chamado Quadrante Mágico da Gartner. É prestigiante para os nossos clientes. É como se fôssemos o único restaurante europeu a receber estrelas Michelin”, salienta Rostislav.

Estratégias regionais de inovação

  • Estas estratégias permitem às regiões capitalizar os seus talentos e realçar as vantagens competitivas, de forma a atrair investimento e alcançar os mercados globais.
  • Na região da Morávia do Sul, na República Checa, o centro de inovação JIC apoia conceitos empresariais inovadores no sentido de identificar parcerias, obter financiamentos, entre outros. Nos últimos anos impulsionou a criação de mais de 1500 postos de trabalho.
  • O JIC integra a Rede Europeia de Empresas, que ajuda as PME a expandirem-se na União Europeia. A rede conta com mais de 3 mil especialistas de 600 organizações presentes em cerca de 60 países.

Ligações úteis

A empresa é uma spin-off criada há 10 anos a partir do trabalho desenvolvido por universidades da região checa da Morávia do Sul. Neste momento, emprega 80 pessoas. Os primeiros passos foram dados na incubadora do centro de inovação JIC, onde recebeu um acompanhamento personalizado e uma perspetiva integrada do mercado.

“Ajudam-nos a encontrar os contactos mais adequados para colmatar as nossas dúvidas relativamente ao marketing online, à gestão de recursos humanos, ao desenvolvimento da atividade noutros países, por aí fora…”, aponta Rostislav.

Jindřich Weiss, do JIC, afirma que este centro “já ajudou a criar cerca de 1500 empregos em mais de 200 empresas” na Morávia do Sul. “O segredo é organizar uma rede sólida que estabeleça relações de longo prazo”, considera.

Resultado: a notoriedade das empresas do setor tecnológico desta região disparou a nível internacional. O JIC faz parte da Rede Europeia de Empresas. Ou seja, estão ligados a outras 600 organizações de 60 países. “A rede abre as portas a parceiros de todo o mundo e permite-nos exportar o nosso sistema para outros países como a Alemanha, a Áustria ou a Espanha”, realça Jindřich.