Última hora

Em leitura:

90 dólares para participar no assassinato de Kim Jong-nam


Malásia

90 dólares para participar no assassinato de Kim Jong-nam

Pouco mais de 90 dólares, foi o dinheiro que a cidadã indonésia afirma ter recebido para participar no ataque a Kim Jong-nam, o meio-irmão do líder da Coreia do Norte
, e que acreditava ser uma brincadeira, adiantou, este sábado, a representação diplomática da Indonésia na Malásia.

Duas mulheres – uma indonésia e outra vietnamita – foram detidas. Segundo a polícia, uma delas sofreu com os efeitos de VX, o químico usado no assassinato.

Entretanto o aeroporto internacional de Kuala Lumpur vai ser cuidadosamente limpo para eliminar qualquer possível traço do veneno.

Segundo o embaixador da Indonésia na Malásia, Andreano Erwin, a cidadã da indonésia colaborou na identificação de outros suspeitos.

“Ela só disse que alguém lhe pediu para fazer isto e que lhe entregaram uma espécie de óleo de bebé. Ela disse que conheceu algumas pessoas que pareciam japoneses ou coreanos”, afirmou o embaixador da Indonésia na Malásia.

Entretanto, a Malásia pretende emitir um mandado de prisão para o diplomata norte-coreano, Hyon Kwang Song, se ele não cooperar voluntariamente com a polícia na investigação sobre o assassinato de Kim Jong-nam.

“Como referiu o Inspector Geral da Polícia, se após um período de tempo razoável, essa pessoa não der uma resposta positiva ao nosso pedido, vamos compelir a que ela se apresente. Vamos esperar apenas um pouco mais para fazer isso,” declarou o chefe de polícia de Selangor, Abdul Samah Mat.

Kim Jong-nam foi assassinado em 13 de fevereiro no aeroporto internacional de Kuala Lumpur com o agente nervoso VX, um produto químico classificado pelas Nações Unidas como uma arma de destruição maciça.