Última hora

Em leitura:

Prisão perpétua para condutores de corrida ilegal "assassina"


Alemanha

Prisão perpétua para condutores de corrida ilegal "assassina"

Uma corrida ilegal há pouco mais de um ano no centro de Berlim terminou com a morte de um inocente apanhado a meio. Esta segunda-feira, os dois condutores implicados no acidente foram condenados à prisão perpétua — um aviso sério aos praticantes destas competições automóveis à margem da lei.

Hamdi H., um operário de 26 anos sem profissão definida e já conhecido da polícia alemã, e Marvin N., um antigo soldado de 24 e atual porteiro de clubes de diversão noturna, circulavam a um de fevereiro do ano passado a mais de 150 quilómetros/ hora ao volante, respetivamente, de um Audi 6 e de um Mercedes AMG. Ao lado de Marvin, no banco do pendura, seguia a namorada, de 22 anos.

De acordo com algumas testemunhas, ambos os condutores terão desrespeitado vários sinais vermelhos no centro da capital alemã. A corrida terminou tragicamente quando o A6, de Hamdi, ultrapassou o rival num sinal vermelho e chocou violentamente contra um Jeep que havia avançado no cruzamento ao sinal verde.

O carro de Michael W. foi projetado cerca de 70 metros. O antigo médico, já reformado, de 69 anos, teve morte imediata a escassas centenas de metros de casa.

Hamdi teria carta há cerca de dois anos e sobreviveu ao embate apenas com algumas escoriações. Marvin evitou a colisão por pouco, mas o Mercedes acabaria também por embater no separador central e tal como o A6, de Hamdi, foi para a sucata. Os dois condutores tiveram de ser assistidos no hospital. A namorada de Marvin ficou apenas em estado de choque.

Um ano depois, já com 27 e 25 anos, Hamdi e Marvin foram condenados a passar o resto da vida atrás das grades. A justiça alemã espera que sirva de lição a outros praticantes destas corridas à margem da lei e que também têm dado muito que fazer às autoridades portuguesas, nomeadamente na Ponte Vasco da Gama e no derradeiro nó da A2 entre o Fogueteiro e Almada.

O psicólogo Haiko Ackermann sublinha que nestes casos envolvendo carros o poder está todo nas mãos das pessoas. “Quando se tem 400 ou 500 cavalos de potência nas mãos basta pisar um pouco o acelerador para mostrarmos toda essa força. Algo que estas pessoas não podiam fazer certamente nas suas vidas profissionais ou pessoais”, considera este especialista.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Alemanha

Merkel e Trump "cabeçudos" no Carnaval alemão