Última hora

Em leitura:

EUA: Procurador-geral Jeff Sessions recusa ser investigado sobre interferência russa nas Presidenciais


EUA

EUA: Procurador-geral Jeff Sessions recusa ser investigado sobre interferência russa nas Presidenciais

Procurador-geral Jeff Sessions recusa-se a fazer parte de qualquer investigação relacionada com interferências da Rússia, na campanha política das Presidenciais nos Estados Unidos. Surgiu a informação que Sessions se terá encontrado com o embaixador de Rússia, no ano passado, apesar de não ter revelado este detalhe no seu depoimento, no Senado – algo que despoletou uma tempestade política.

Procurador-geral Jeff Sessions recusa-se a fazer parte de qualquer investigação relacionada com interferências da Rússia, na campanha política das Presidenciais nos Estados Unidos.

Surgiu a informação que Sessions se terá encontrado com o embaixador de Rússia, no ano passado, apesar de não ter revelado este detalhe no seu depoimento, no Senado – algo que despoletou uma tempestade política: “recusei as questões relacionadas com a campanha de Trump. As explicações desta recusa estão no comunicado de imprensa que será fornecido.”

Sessions foi desafiado a demitir-se depois dos democratas terem acusado de mentir sobre encontros com Sergey Kisslyak – quando foi interrogado sobre o assunto no Senado, em janeiro. No mês passado, o assessor de segurança nacional do presidente, Mike Flynn, foi obrigado a demitir-se devido a ligações com Kisslyak.

As agências de inteligência dos EUA acreditam que os hackers russos ajudaram Trump a derrotar Hillary Clinton ao acederem aos sistemas informáticos do Partido Democrata – uma reivindicação que o Kremlin nega.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Turquia

Campanha pelo "Não" às mudanças na Constituição arranca na Turquia