Última hora

Em leitura:

Rali Rota da Seda: Cyril Desprès defende título, Peterhansel quer divertir-se


Desporto

Rali Rota da Seda: Cyril Desprès defende título, Peterhansel quer divertir-se

Da Rússia à China, através do Cazaquistão e da Mongólia, o Rali Rota da Seda está de volta e pelo segundo ano consecutivo com partida marcada para a Praça Vermelha, em Moscovo.

Desta feita, após os mais de dez mil quilómetros de percurso, o destino da prova não será Pequim, mas a cidade chinesa de Xian.

Campeã no ano passado pelas mãos de Cyril Desprès, a Peugeot volta em força à Rota da Seda, com os respetivos três carros mais fortes nas provas de todo-o-terreno.

“Sebastian Loeb, Stephane Peterhansel e Cyril Desprès. De novo, três carros da Peugeot. É fantástico porque eles formam a equipa mais forte do momento”, enalteceu o antigo esquiador Luc Alphand.

O conselheiro desportivo da organização desta edição do Rali Rota da Seda refere ainda que “há também que contar com a Toyota”. “Espero não estar a falar cedo demais, mas o Nasser al Athiya também vai entrar este ano na Rota da Seda. Também vai estar a Mini, que promete apresentar uma boa equipa neste rali”, acrescentou Luc Alphand.

Cyril Desprès será o piloto a ter debaixo de olho pela concorrência. No ano passado impôs-se aos colegas de equipa e foi o campeão, mas já este ano perdeu para o compatriota Peterhansel o Dakar, na América do Sul.

Para Deprès, “o Rota da Seda uma das grandes competições do todo o terreno, mas é também uma relação de amor”.

“Foi a primeira vez que ganhei um rali, um rali duro, longo e muito exigente. Na pilotagem, na resistência e na navegação devido a todas as etapas fora de estrada. Guardo boas memórias e estou ansioso para recomeçar e repetir o título se possível”, perspetivou o campeão.

Um dos grandes rivais promete ser desta vez Stephan Peterhansel. Há um ano, o francês viu-se obrigado a desistir, mas agora é para ser diferente.

“De cada vez que vou para a linha de partida de uma corrida, seja o Dakar, o Rota da Seda ou o Rali de Marrocos, é sempre com um só objetivo: tentar ganhar. Depois, claro, é também para tentar divertir-me. Eu adoro a competição, mas o que é importante é sentir o prazer da condução”, destacou o vencedor do Dakar2017.

O Rali Rota da Seda tem o tiro de partida marcado para oito de julho em Moscovo. Inclui 14 etapas e um dia de descanso. O final está previsto para 22 de julho, em Xian, na China.

Além dos carros, estarão também em prova os camiões. Para o próximo ano, está já prometida também uma competição de motos.

Texto redigido com a colaboração de Denys Kulyk, jornalista da equipa ucraniana da euronews

FIFA vai exigir cartão de identidade especial no acesso aos estádios na Rússia

Desporto

FIFA vai exigir cartão de identidade especial no acesso aos estádios na Rússia