Última hora

Em leitura:

Josef Aschbacher: "Ainda não percebemos o que está acontecer no nosso planeta"


Insight

Josef Aschbacher: "Ainda não percebemos o que está acontecer no nosso planeta"

O Sentinela-2b é o quinto satélite lançado pela Agência Espacial Europeia (ESA) para o espaço no âmbito do programa Copernicus, que tem como objetivo realizar uma observação total, contínua e autónoma e de alta resolução da Terra.

O Satélite reveste-se de particular importância. A explicação é dada pelo diretor do departamento de Observação da Terra da Agência Espacial Europeia (ESA), Josef Aschbacher, à Euronews.

Claudio Rosmino, Euronews: Josef Aschbacher, obrigado por estar com a Euronews. O senhor é o diretor do programa da Agência Espacial Europeia de Observação da Terra e a rede de satélites Sentinela é a chave para o estudo do estado do nosso planeta. Pode relembrar-nos o objetivo da missão ?

Josef Aschbacher, diretor do departamento de observação da terra, ESA: “O objetivo da missão é monitorizar o estado do planeta e o Sentinela 2, em particular, observa a superficie do terreno e também as zonas costeiras para termos um boa imagem do nosso planeta todos os dias com satélites em órbita”.

Claudio Rosmino, euronews: “Toda a superfice da Terra vai ser coberta em alta resolução todos os cinco dias, em que é que consistem esses dados?”

Josef Aschbacher, ESA: “Estes dados são oferecidos a toda a gente de forma gratuita, elas podem aceder aos dados num sítio da internet, todos podem descarregar qualquer imagem da terra a partir de qualquer lugar. E esta é verdadeiramente uma nova função que instalámos no programa Corpernicus para garantir que os investimentos feitos no Espaço pelos contribuintes europeus possam ser usados por todos os europeus e também por pessoas de fora da Europa. E eu acho que essa é a medição do sucesso, de que as pessoas podem de facto ter acesso aos dados em qualquer lugar e a qualquer hora”.

Claudio Rosmino, Euronews: “Porque é que o Sentinela 2-B e também outros satélites de observação são tão importantes para monitorizar o nosso planeta?”

Josef Aschbacher, ESA: “Eles são muito importantes porque nós ainda não percebemos bem o que está acontecer no nosso planeta. O nosso planeta é muito complexo, a atmosfera interage com os oceanos, interage com a terra. Todo o sistema da Terra – como nós chamamos – é um sistema muito complicado que os cientistas ainda não compreendem totalmente. Por isso, precisamos de medições precisas de satélites – e também de outros meios – para perceber o que está a passar, não apenas sobre o clima.”

Claudio Rosmino, Euronews: “A poluição atmosférica é um dos principais assuntos em destaque hoje em dia, como pode este tipo de estudos influenciar a ação dos governos em todo o mundo?”

Josef Aschbacher, ESA: “Um exemplo: a desflorestação faz com que não tenhamos florestas que convertem a poluição em oxigénio e por isso precisamos de compreender o que se passa no terreno para ver como a química da atmosfera é influenciada.”

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Insight

Holanda: O populista Geert Wilders cada vez mais perto do governo