Última hora

Em leitura:

Atualizado: Trump retira Iraque da lista de países com entrada bloqueada nos EUA


EUA

Atualizado: Trump retira Iraque da lista de países com entrada bloqueada nos EUA

O Presidente dos Estados Unidos retirou o Iraque da lista de países cujos cidadãos vão ser de novo proibidos de entrar nos Estados Unidos por uma nova ordem executiva à imagem daquela que foi emitida no final de janeiro visando cidadãos de sete países de maioria muçulmana e a suspensão do programa de acolhimento de refugiados.

O bloqueio foi entretanto suspenso pelo tribunal, por suposta inconstitucionalidade, mas Donald Trump pretende forçar a implementação da ordem e a sua Administração tem vindo a estudar a forma de o conseguir de forma legal.


 

Outros capítulos de uma controversa medida anti-imigração:

  • 28 janeiro: “Trump assina controversa ordem-executiva contra vistos a sete países de maioria muçulmana“http://pt.euronews.com/2017/01/28/eua-comunidade-internacional-contesta-medidas-anti-refugiados-de-trump;
  • 10 fevereiro: “Tribunal de recurso mantém suspensão da ordem-executiva de Trump”:http://pt.euronews.com/2017/02/10/tribunal-de-recurso-dos-eua-mantem-suspensao-do-decreto-anti-imigracao-de-donald-trump;
  • 16 fevereiro: “Trump prepara nova ordem-executiva sobre imigração”:http://pt.euronews.com/2017/02/16/trump-avanca-com-nova-ordem-executiva-sobre-imigracao-na-proxima-semana.
  • Uma nova ordem executiva referente à entrada de estrangeiros no país foi assinada esta segunda-feira, mantém a suspensão do programa de acolhimento de refugiados e a proibição de vistos temporários para alguns países de maioria muçulmana, nos quais já não se inclui o Iraque.

    Fonte da Casa Branca antecipou a alteração à agência Reuters, explicando que a retirada da Lista do Iraque se devia às contra-medidas impostas por Bagdade após a primeira ordem-executiva de Trump, nomeadamente, critérios mais apertados de visto de entrada a norte-americanos no Iraque, partilha de informações e a parceria entre Wasghington e Bagdade na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico (“daesh”/ ISIL).

    Desta forma, na lista surgem agora apenas seis países de maioria muçulmana e cujos cidadãos serão de novo impedidos de entrar nos Estados Unidos, por pelo menos três meses: Irão, Líbia, Síria, Somália, Sudão e Iémen.

    O Iraque já reagiu à saída da lista. Em comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Bagdade considera tratar-se de “um grande alívio” o fim do impedimento dos iraquianos entrarem nos Estados Unidos.

    “A decisão representa um importante passo na direção certa, consolida a aliança estratégica entre Bagdade e Washington em diversas áreas e na frente da batalha contra o terrorismo”, lê-se no comunicado iraquiano.

    Ministério Público sul-coreano acredita na conivência da presidente no escândalo de corrupção

    Coreia do Sul

    Ministério Público sul-coreano acredita na conivência da presidente no escândalo de corrupção