Última hora

Em leitura:

Liga Portuguesa J24: Benfica e Porto não vacilam, em Alvalade a ressaca foi dura


Desporto

Liga Portuguesa J24: Benfica e Porto não vacilam, em Alvalade a ressaca foi dura

  • Moussa Marega voltou aos golos quatro meses depois
  • Dez jogos sem perder para o Marítimo, a melhor série na história do clube
  • Moreirense não vence desde que conquistou a Taça da Liga

Benfica e FC Porto não desarmam na luta pelo título e mostraram na 24ª jornada que há várias maneiras de conseguir três pontos: no Dragão, com uma chuva de golos, no Marcolino de Castro com um tento solitário à beira do descanso. Na terceira posição, cada vez mais distante, segue o Sporting, que voltou a desiludir ao não ir além de um empate na receção ao Vitória de Guimarães.

Em Santa Maria da Feira, a equipa de Nuno Manta voltou a deixar uma excelente imagem e discutiu o jogo taco a taco com os tricampeões nacionais. Ambas as equipas estiveram desastradas na hora de rematar à baliza, a diferença deu pelo nome de Pizzi. O médio benfiquista fez o único golo do encontro à beira do intervalo depois de um excelente passe de Carrillo o ter deixado na cara de Vaná. Tantas vezes incompreendido pelos próprios adeptos, a verdade é que o transmontano é provavelmente o jogador mais importante no desenho de Rui Vitória.


A equipa do momento, no entanto, é o FC Porto, que somou a oitava vitória consecutiva (12ª nos últimos 13 jogos) na receção ao Nacional da Madeira. Ao invés, os madeirenses não sabem o que é vencer há onze encontros e mostraram no Estádio do Dragão que não é por acaso que a lanterna vermelha lhes pertence. A equipa de Predrag Jokanović não resistiu ao vendaval ofensivo dos portistas e sofreu a maior derrota da sua história na Liga Portuguesa. No final dos noventa minutos, o marcador assinalava 7-0 mas a equipa da casa podia facilmente ter chegado à dezena. Soares continua em estado de graça e leva sete golos em cinco jogos com a camisola azul-e-branca.


Em Alvalade, depois da festa da reeleição de Bruno de Carvalho como presidente do Sporting, veio a ressaca com um empate frente ao Vitória de Guimarães. A equipa leonina voltou a estar bem distante do seu melhor, as opções de Jorge Jesus voltaram a estar longe de convencer os adeptos e o resultado foi mais uma exibição cinzenta. Alan Ruiz ainda colocou a equipa verde-e-branca na frente do marcador, com o seu quarto golo nos últimos cinco jogos, mas foi sem surpresa que Moussa Marega restabeleceu a igualdade aos 76 minutos. O maliano não fazia o gosto ao pé desde o hat-trick frente ao Rio Ave em outubro. Soma agora onze golos na Liga.

Com o empate frente ao Sporting, o Vitória deixou fugir o Sporting de Braga na classificação. Jorge Simão pôde finalmente suspirar de alívio e bem pode agradecer a Rui Fonte. O atacante bisou no triunfo por 3-1 frente ao Arouca e que interrompeu uma série de seis encontros sem vencer para os arsenalistas. A crise está agora do lado dos arouquenses, que ainda não venceram desde a saída de Lito Vidigal e somam quatro derrotas consecutivas pela primeira vez desde que se encontram no escalão principal.

Também o Vitória de Setúbal está em queda. Desde a vitória frente ao Benfica, em Janeiro, os sadinos não voltaram a conquistar os três pontos. Já lá vão cinco encontros. No domingo a equipa de José Couceiro foi derrotada pelo Marítimo, no Caldeirão dos Barreiros, graças a um tento solitário de Fransérgio. Um resultado que garantiu a Daniel Ramos um lugar na história dos insulares. O técnico que chegou ao clube em setembro proveniente do Santa Clara é já o treinador do clube com mais jogos consecutivos sem conhecer o sabor da derrota na Liga Portuguesa, a série está atualmente em dez jogos sem perder e deixou o Marítimo à beira da Europa.

Já o Desportivo de Chaves ficou mais longe das competições europeias ao ser derrotado no Restelo por 2-1. Os flavienses até estiveram na frente do marcador mas permitiram que o Belenenses desse a volta com golos de Maurides e Tiago Caeiro, já para lá do minuto noventa. A equipa de Quim Machado, que não perde há seis jogos, tem agora 32 pontos, os mesmos que Chaves e Rio Ave, que regressou às vitórias esta segunda-feira na Amoreira. Guedes e Gil Dias foram os marcadores de serviço nos vilacondenses. Já o Estoril continua sobre brasas, os canarinhos estão imediatamente acima da linha de água com a companhia do Moreirense, equipa que não foi além de um nulo na receção ao Boavista. Os axadrezados seguem tranquilos a meio da tabela. O outro nulo da ronda veio da Mata Real, no encontro entre Paços de Ferreira e Tondela. Ponto a ponto, os beirões tentam repetir o milagre do ano passado mas a tarefa não será nada fácil para os pupilos de Pepa.

Figura da semana

André Silva

Não tem sido fácil a vida de André Silva no Porto desde a chegada de Soares. O brasileiro entrou a todo o gás na equipa e os seus golos parecem não ter fim à vista. Como resultado, o jovem atacante até foi suplente não utilizado pela primeira vez esta temporada na vitória no Estádio do Bessa. André Silva respondeu à campeão. Regressou ao onze para defrontar o Nacional e voltou a ser a principal referência ofensiva da equipa. Não desiludiu. Terminou o encontro com dois golos à ponta de lança e aproximou-se de Bas Dost na lista de melhores marcadores. Tem agora 15 golos apontados, menos três que o holandês.