Última hora

Em leitura:

Alemanha receia nova "corrida às armas" entre os EUA e a Rússia


EUA

Alemanha receia nova "corrida às armas" entre os EUA e a Rússia

A Alemanha está preocupada com o risco de uma “nova corrida às armas” entre os Estados Unidos e a Rússia, numa altura em que as tensões crescem, com Washington a acusar Moscovo de violar “o espírito e a intenção” do tratado de não-proliferação de armas nucleares, assinado em 1987, ao alegadamente ter i“nstalado um novo míssil de cruzeiro, que pode atingir a Europa”:https://www.theguardian.com/world/2017/mar/08/russia-cruise-missile-violates-treaty-us-general. Uma acusação já rejeitada pelo Kremiln.

De visita a Moscovo, após um encontro com o homólogo russo, o chefe da diplomacia alemã, Sigmar Gabriel, afirmou estar “preocupado” com o “perigo de uma nova espiral de corrida às armas”, num momento em que o debate entre os dois lados assenta, por exemplo, na “forte presença militar da Rússia junto à região do Báltico e da Polónia” ou no “exorbitante aumento do orçamento de defesa dos Estados Unidos”, afirmou.

O conflito na Ucrânia foi outro dos temas centrais da conversa, com Gabriel a realçar que a “cada 50 segundos é disparado um projétil no Leste” do país e os dois responsáveis a defenderem o fortalecimento da missão da OSCE, que supervisiona o cumprimento do cessar-fogo.

Serguei Lavrov repetiu que a Rússia está disponível para discutir a questão da Ucrânia, salientando a necessidade de acelerar o processo para que as duas partes cumpram o estabelecido nos Acordos de Minsk, mas considerando que esse debate não deve ter lugar no Conselho NATO-Rússia, “criado para debater a segurança euro-atlântica”.

Os conflitos na Síria e na Líbia também foram abordados, tal como o tema da espionagem eletrónica, com Lavrov a afirmar que tenta não levar o telemóvel para “negociações relacionadas com temas sensíveis” e que, “por agora, parece que tal decisão” lhe permitiu “não estar numa situação desagradável”.

Noite branca em Barcelona depois de reviravolta histórica na Liga dos Campeões

Espanha

Noite branca em Barcelona depois de reviravolta histórica na Liga dos Campeões