Última hora

Em leitura:

Netanyahu a Putin: Paz na Síria só sem o Irão no terreno


Rússia

Netanyahu a Putin: Paz na Síria só sem o Irão no terreno

Israel está pronta a apoiar o processo de paz na Síria, mas só se o Irão retirar as suas forças do terreno.

Reunido com o presidente russo em Moscovo, o primeiro-ministro israelita afirmou que não quer que o terrorismo sunita, do grupo Estado Islâmico, “seja substituído pelo xiita, encabeçado por Teerão”.

A deslocação ocorre num momento em que Israel acusa a milícia xiita do Hezbollah, apoiada pelo Irão, de se utilizar do conflito sírio para reatar a batalha pelos montes Golã.

A região tem sido palco de confrontos esporádicos e mesmo de um bombardeamento israelita, em outubro, que teria morto um membro da Guarda Revolucionária iraniana.

“Deixei claro que, no que se refere à Síria, Israel não se opõe a um acordo, mas opõe-se com determinação à possibilidade de que, à luz deste acordo, o Irão e os seus aliados possam manter uma presença militar na Síria”, afirmou Benjamin Netanyahu após o encontro no Kremlin.

Sem se pronunciar sobre o apoio de Moscovo a Bashar Al-Assad, também aliado de Teerão, Israel afirma querer afastar a ameaça iraniana das suas fronteiras.

O encontro com Netanyahu ocorreu horas antes de Putin receber o presidente turco em Moscovo.

Depois de normalizar relações com a Rússia e Israel, Recep Tayyip Erdogan apresenta-se como um contrapeso à influência do Irão na região.

A reunião entre Netanyahu e Putin é a quarta em menos de um ano e meio entre os dois líderes. Um sinal da forma como a mobilização militar russa na Síria está a modificar o frágil equilíbrio de forças na região, sobretudo depois dos EUA terem apoiado o acordo sobre o nuclear com Teerão, sob as críticas do tradicional aliado israelita.

Fundador do Wikileaks acusa CIA de "incompetência devastadora"

EUA

Fundador do Wikileaks acusa CIA de "incompetência devastadora"