Última hora

Em leitura:

Coreia do Sul: 2 mortos após destituição da presidente


Coreia do Sul

Coreia do Sul: 2 mortos após destituição da presidente

Pelo menos duas pessoas morreram, esta sexta-feira, em confrontos com a polícia, em Seul, na Coreia do Sul, após a presidente, Park Geun-hye ter sido destituída pelo Tribunal Constitucional.

De acordo com fontes hospitalares, uma das vítimas é um homem de mais de 70 anos que morreu devido a ferimentos na cabeça, após cair de cima de um autocarro da polícia, em frente ao edifício do Tribunal.

Com a destituição, Park perde a imunidade e a Coreia do Sul tem que realizar eleições presidenciais no prazo inferior a 60 dias.

O primeiro-ministro e presidente interino, Hwan Kyo-Ahn apelou à calma.

“Para evitar que os conflitos internos se intensifiquem, devemos administrar a ordem social e manter um governo estável para que a ansiedade nacional e as preocupações da sociedade internacional possam ser resolvidas”, afirmou.

O veredicto do Tribunal Constitucional, para destituir a chefe de Estado foi unânime.

Park Geun-hye é suspeita num caso de corrupção e tráfico de influências.

O Ministério Público considera que Park Geun-hye esteve envolvida no caso e acusou formalmente a amiga Choi Soon-sil e dois antigos assessores presidenciais, que são suspeitos de terem pressionado mais de 50 empresas do país a doar mais de 62 milhões de euros a duas fundações.

A presidência sul-coreana já fez saber que a chefe de Estado não abandona, para já, a Casa Azul, devido a questões de segurança.

A destituição ocorre numa altura em que aumenta a tensão entre Seul, Pyongyang e Pequim.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Alemanha

Fim da caça ao homem na Alemanha: Suspeito entrega-se e há mais uma vítima