Última hora

Última hora

Juncker "escandalizado" acusa Turquia de "distanciar-se da UE"

O presidente da Comissão Europeia afirma que a Turquia está a afastar-se da União Europeia (UE) na recente crise diplomática com a Holanda e a Alemanha.

Em leitura:

Juncker "escandalizado" acusa Turquia de "distanciar-se da UE"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Comissão Europeia afirma que a Turquia está a afastar-se da União Europeia (UE) na recente crise diplomática com a Holanda e a Alemanha.

Frente ao Parlamento Europeu em Estrasburgo, Jean-Claude Juncker condenou as acusações de “fascismo” e “nazismo” vindas do presidente turco e de vários responsáveis do governo de Ancara.

“Estou escandalizado com o que tem sido dito na Turquia sobre a Holanda ou a Alemanha e outros países. Eu nunca vou aceitar esta comparação entre os nazis e os atuais governos. É totalmente inaceitável e quem está a fazer isto está a distanciar-se da Europa e não à espera para entrar na União Europeia. Não é a União Europeia que vai aderir à Turquia mas a Turquia que quer entrar na UE”, frisou Junker.

A Comissão Europeia assegurou, esta quarta-feira, que a tensão atual e as sanções de Ancara contra a Holanda, não vão, no entanto, afetar o atual acordo migratório com a Turquia.

Uma ameaça que voltou a ser brandida, ontem, pelo ministro turco dos assuntos europeus, Omer Celik:

“Se olharmos com atenção, a União Europeia sempre fala de cooperação na luta contra o terrorismo e de gerir a crise migratória, mas encombre outros temas. Quando vemos que não cumprem as suas obrigações, não vejo qualquer razão para que a Turquia mantenha o atual acordo migratório”.

A União Europeia desembolsou já mais de 700 milhões de euros no quadro do acordo, assinado no ano passado, que permitiu reduzir o fluxo de refugiados através da Grécia e da chamada “rota dos balcãs”.

Ancara exige há vários meses, como contrapartida, o fim do sistema de vistos imposto aos viajantes turcos no espaço da UE. Bruxelas impôs às autoridades turcas o respeito de 72 critérios, entre os quais uma revisão da atual legislação anti-terrorista em vigor no país.