Última hora

Ataque em Orly: Um ato isolado de um homem "em perdição" sob o efeito do álcool e de drogas

A tentativa de atentado de sábado no aeroporto francês de Orly seria um ato isolado de um criminoso reincidente, sob o efeito do álcool e de drogas, mas sem ligações para já a grupos…

Em leitura:

Ataque em Orly: Um ato isolado de um homem "em perdição" sob o efeito do álcool e de drogas

Tamanho do texto Aa Aa

A tentativa de atentado de sábado no aeroporto francês de Orly seria um ato isolado de um criminoso reincidente, sob o efeito do álcool e de drogas, mas sem ligações para já a grupos terroristas.

A polícia encontrou 0,93 gramas de álcool assim como vestígios de haxixe e de cocaína no sangue do tunisino Ziyed Ben Belgacem, de 39 anos, abatido após tentar roubar uma arma a uma militar que patrulhava a aerogare no sábado.

O pai do suspeito rejeita qualquer ligação do filho a um grupo terrorista:

“Ele nunca foi um terrorista, nunca o vi a fazer as orações, e como se viu estava alcoolizado e sob o efeito de cannabis. É chocante, mas é o resultado do consumo de drogas. Ao fim e ao cabo sou eu que pago por ele”.

O suspeito, condenado por nove vezes por roubo e tráfico de droga, estava em liberdade condicional depois de ter sido detido em março do ano passado.

A polícia abriu uma investigação por tentativa de homicídio e de assassínio ligada a um projeto terrorista.

Os três familiares do suspeito detidos para interrogatório, após o ataque, foram entretanto libertados sem acusações.

O homem tinha escapado a um controlo policial, ferindo um polícia, e roubado uma viatura, antes de atacar-se aos militares do aeroporto de Orly, com uma pistola e um bidon de gasolina, segundo ele, “pronto a morrer por Alá”.

O procurador francês fala para já de um ato isolado e “desesperado” de um homem de 39 anos, “em perdição”, que ter-se-ia radicalizado durante uma passagem pela prisão em 2011.