Última hora

Em leitura:

Tratado de Roma: Euroceticismo cresce entre os italianos


A redação de Bruxelas

Tratado de Roma: Euroceticismo cresce entre os italianos

O euroceticismo em Itália aumentou dramaticamente e contrasta com as comemorações dos 60 anos do Tratado de Roma. Muitos italianos têm agora o Brexit como modelo. Uma sondagem recente mostra que 53% dos transalpinos não confia na União Europeia.

Nella, uma residente na capital italiana defende que “a situação piorou muito em vez de melhorar. Além disso, com a abertura das fronteiras chegou aqui muita gente sem qualquer controlo. Precisamos de uma melhor gestão em toda a Europa, para que haja mais amizade, para que tenhamos mais solidariedade entre todos os países e não se isole Itália do resto da Europa”.

Muitos italianos estão desiludidos porque acreditavam que o desenvolvimento iria chegar de forma mais rápida. E dão exemplos: junto à estação de comboios de Tiburtina esperava-se que chegasse a prosperidade depois de ter sido construída a linha de alta velocidade…o que afinal não aconteceu. Emanuela, uma outra moradora em Roma lembra que “acreditavamos nos fundos públicos da União Europeia. Itália ganha muitos poucos concursos públicos na União ou nem sequer vamos a concurso. Poderiamos ganhar muito dinheiro europeus, fazer muitas coisas com esses fundos mas aqui não chegou nada”.

Nesta região a população é multicultural. Nos anos 90 chegaram muitos imigrantes, muitos acreditam que se vivia melhor antes de se adotar a moeda única. Azim é paquistanês e tem um café. “Na minha opinião estavamos melhor com a lira. Desde que chegou o euro tudo piorou, muitos países não estavam preparados. Agora os clientes entram e pedem um capuchino, no outro dia pedem um croissant, mas nunca pedem as duas coisas ao mesmo tempo”, lembra o imigrante.

Os italianos estão preocupados com os efeitos da crise económica que afeta o país desde 2008 e temem que nada melhore no futuro.