Última hora

#QMundial2018: Portugal cilindra Hungria mas Suíça mantém-se firme

Cristiano Ronaldo bisou e chegou aos 70 golos pela seleção portuguesa; os helvéticos venceram a Letónia à tangente e seguram a liderança do grupo B com um registo perfeito.

Em leitura:

#QMundial2018: Portugal cilindra Hungria mas Suíça mantém-se firme

Tamanho do texto Aa Aa

Portugal venceu, por 3-0, e “afundou” a Hungria na corrida pelo apuramento para o Mundial 2018. A equipa das quinas continua, contudo, a três pontos da Suíça, que venceu em casa pela margem mínima a modesta Letónia.

Na reedição do melhor jogo do Euro2016, Fernando Santos surpreendeu na aposta em André Gomes para o meio campo, num jogo em que se exigia uma equipa portuguesa dinâmica e agressiva na busca de golos.

O médio do Barcelona já tinha revelado ser um travão dessa dinâmica na fase de grupos do Europeu e voltou a sê-lo na primeira meia-hora deste jogo.

Nas alas, esperava-se tambem “sangue fresco” na ausência do lesionado Nani, mas o selecionador foi uma vez mais conservador e preferiu Ricardo Quaresma, o irreverente “trintão” que tem sido talismã quando salta do banco.

Portugal sentiu dificuldades na organização ofensiva perante um agressivo e pressionante meio campo húngaro. Na frente, André Silva parecia muito preso entre os centrais.

Depois de uns primeiros minutos de domínio português e alguns remates sem pontaria, os húngaros responderam, à meia-hora, também com um remate para as nuvens. Portugal pareceu levar o aviso a sério.

Quase de imediato, numa jogada de ataque bem delineada da direita para esquerda, Ronaldo libertou Raphael Guerreiro na esquerda e o defesa do Dortmund cruzou de primeira para André Silva abrir o marcador. Simples.

Aos 36 minutos, 2-0. Desta vez, Cristiano Ronaldo após lançamento longo de Cédric e uma brilhante assistência de calcanhar de André Silva à entrada da área.

O ataque português acordou e de que maneira, deixando o jogo, agora sim, à medida de André Gomes. A equipa descontraiu, passou a jogar pelo seguro e foi a ganhar para o intervalo.

No reatamento, Lovrencsics entrou para o flanco direito da Hungria, por onde Raphael Guerreiro fez “estragos” na tática de Bernd Stock.

Os portugueses concederam a iniciativa aos húngaros e passaram a jogar no contra-ataque. Aos 64 minutos, após falta sobre Quaresma, Cristiano Ronaldo bisou de livre direto — foi o golo 70 de CR7 pela seleção.

Fernando Santos decidiu trocar André Silva por Bernardo Silva e o antigo jogador do Benfica teve finalmente a ovação no Estádio da Luz com que sonhava há muitos anos.

A equipa portuguesa controlou o ritmo do jogo. Os húngaros não souberam como reagir aos golos de Portugal.

Ate deu para Fernando Santos permitir a entrada do médio do Benfica Pizzi num encontro da seleção que o clube encarnado decidiu boicotar de forma institucional por alegadamente se sentir mal-tratado pela Federação Portuguesa de Futebol.

Estádio da Luz, Lisboa (57.886 espetadores).
Árbitro: Szymon Marciniak (Polónia).

Portugal: Rui Patrício; Cédric, José Fonte, Pepe e Raphael Guerreiro; William Carvalho; João Mário (João moutinho, 83’) e André Gomes (Pizzi, ); Quaresma, André Silva (Bernardo Silva, 67’) e Cristiano Ronaldo.
Selecionador: Fernando Santos.

Hungria: gulacsi; Lang (Lovrencsics, 46’), Vinicius, Kadar (A) e Korhut; Nagy; Bese, Gyurcso (Kalmár, 69’), Gera (A, Pintér, 86’) e Dzsudzsak (A); Szalai.
Selecionador: Bernd Stock.

Golos: André Silva (32’) e Cristiano Ronaldo (36’ e 64’).

Suíça lidera e Andorra faz história

A Suíça mantém-se na liderança do grupo de Portugal com um triunfo em casa, pela margem mínima, diante da Letónia. A meio da segunda parte, um golo de Josip Drmic, dois minutos depois de ter entrado, valeu aos helvéticos manter um registo perfeito nesta fase de qualificação, somando 15 pontos em cinco jogos.

Em Andorra, houve história. Após mais de 4200 dias e 58 derrotas consecutivas, Andorra voltou a somar um ponto em jogos oficiais — o último havia sido em setembro de 2005, também num empate diante da Finlândia.

O único triunfo de Andorra em jogos oficiais foi na fase de qualificação para o mundial de 2006 quando derrotou a Macedónia, em 2004.

Grupo A: Holanda afunda-se na Bulgária

No grupo A, os dois primeiros golos de Spas Delev pela seleção permitiram à Bulgária derrotar em casa a Holanda e ultrapassar o adversário na classificação, intrometendo-se na luta pelo apuramento.

No Luxemburgo, a França chegou a assustar-se quando Joachim empatou o jogo, aos 34 minutos, de penálti, após giroud ter aberto o marcador. Da mesma forma, da marca dos nove metros, Griezmann empatou pouco depois.

Na segunda parte, foi preciso esperar até aos 77 minutos para Giroud bisar e descansar de vez os adeptos gauleses. Didier Deschamps decidiu então promover a estreia na seleção AA do jovem prodígio do AS Mónaco, Kylian Mbappé, de 18 anos.

A Suécia goleou, sem surpresa, a antepenúltima do grupo, a Bielorrússia. Um bis de Emil Forsberg, um de Marcus Berg e outro de Isaac Thelin.

Grupo H: Um jogo dos “diabos” em Bruxelas

Em Bruxelas, Kostas Mitroglou deu continuidade à veia goleadora que tem permitido ao Benfica manter-se líder na Liga Portuguesa. A abrir a segunda parte, foi do “diabo” benfiquista o golo que colocou a Grécia a vencer fora a Bélgica.

Os “diabos vermelhos” evitaram o pior à beira dos 90, com Lukaku a empatar numa altura em que os gregos já jogavam há mais de 20 minutos com menos um jogador, por expulsão de Tachtsidis. Um outro grego, Tzavellas, seria explso nos descontos.

A Bósnia-Herzegovina recebeu a última do grupo e, como se esperava, goleou: 5-0, com um bis de Ibisevic e golos de Vrsajevic, Visca e Bicakcic.

Chipre e Estónia empataram a zero e descolaram de vez do comboio da frente.