Última hora

Em leitura:

Sentir o "Pulso da Europa"


Mundo

Sentir o "Pulso da Europa"

O grupo ativista Pulse of Europe está continuamente a lançar alertas sobre a radicalização crescente da vida política. Este movimento, criado por cidadãos alemães na sequência do Brexit e da eleição de Donald Trump nos EUA, já organizou quase 60 manifestações desde novembro passado, tendo reunido mais de 20 mil participantes.

Os membros do Pulse of Europe (“Pulso da Europa”) defendem que a maioria dos cidadãos europeus ainda acredita nos princípios basilares da Europa e na possibilidade de os redinamizar, face ao avanço dos partidos nacionalistas.

Friedrich Jeschke do Pulse of Europe de Aachen, na Alemanha, falou com a euronews.

euronews: O vosso grupo nasceu em novembro de 2016, em Frankfurt, e apresenta-se como um movimento apartidário que integra pessoas dos mais variados quadrantes: novos, idosos, operários, empresários… O objetivo anunciado é sublinhar os aspetos positivos da União Europeia e os valores que nos podem (re)orientar no futuro. Os nacionalismos concorrem contra os interesses europeus?

Friedrich Jeschke: Um dos objetivos primordiais dos partidos nacionalistas é abandonar a “Europa Unida”. Eles pretendem reerguer as fronteiras e regressar às moedas nacionais. No entanto, a moeda única e países sem fronteiras são princípios europeus fundamentais, portanto, sim, os nacionalismos concorrem contra a Europa. Nós estamos presentes em 14 cidades de 10 países: França, Holanda, Suécia, Áustria, Luxemburgo, Bélgica, Portugal, Irlanda e até o Reino Unido. É um movimento que está a crescer de semana para semana e há cada vez mais cidades a aderir. Há outros grupos pró-europeus que têm uma missão idêntica à do “Pulse of Europe”.

euronews: As vossas manifestações só decorrem aos domingos?

Friedrich Jeschke: Sim, e tanto quanto possível, todas ao mesmo tempo. Há muitos participantes que trazem os filhos. Na Alemanha, toda a gente tem direito a organizar uma manifestação. A segurança é responsabilidade das autoridades. Temos caixas para donativos e qualquer um pode contribuir com o montante que quiser.

“Damos-lhes motivação e inspiração”

euronews: O que é que gostaria de mudar ou melhorar na Europa?

Friedrich Jeschke: Nós consideramos que o conceito de Europa devia ser mais valorizado e mais acessível ao público. O nosso movimento parte de baixo para cima. A Europa devia ser divertida de novo. Aqueles que abandonarem a UE não vão ajudar a moldar a Europa do futuro. A mudança e o aperfeiçoamento resultam de uma maior participação e debate. Há 70 anos, os nossos avós enfrentavam-se no campo de batalha. Hoje em dia, somos amigos, vizinhos e até familiares. A Europa significa paz, liberdade, diálogo, oportunidades sem precedentes para o desenvolvimento individual dos seus cidadãos. O “Pulse of Europe” também fornece apoio aos políticos pró-europeus. Damos-lhes motivação e inspiração.

euronews: Como é que as pessoas podem organizar manifestações “Pulse of Europe”?

Friedrich Jeschke: Podem contactar a nossa organização e as autoridades locais. É necessário recolher apoios públicos para organizar o sistema sonoro, os panfletos e outros materiais. As nossas ferramentas são as redes sociais, os comentários boca-a-boca e a imprensa.