Última hora

Em leitura:

Universidade da Europa Central protesta contra Viktor Orbán


Hungria

Universidade da Europa Central protesta contra Viktor Orbán

Com Andrea Hajagos, em Budapeste

Na Hungria, a Universidade da Europa Central, fundada pelo filantropo George Soros, protesta contra as novas leis do Governo de Viktor Orbán para universidades estrangeiras a operar no país, que implicam no caso da CEU, que passe a funcionar mediante um acordo entre Washington e Budapeste.


A Universidade da Europa Central está registada em Nova Iorque e tem sede em Budapeste. Não tem um campus em território dos Estados Unidos.

Tanto a instituição, que acolhe estudantes de Mestrado e Doutoramento de mais de 100 nacionalidades.

Para o presidente da instituição, Michael Ignatieff, a liberdade de cátedra da CEU e de todas as outras instituições de ensino superior será atacada com as novas leis:

“Não podemos ter uma universidade livre na Europa sem termos liberdade de cátedra, de contratação e de seleção dos alunos. E esta lei impõe muitas restrições nesse sentido”, disse o presidente da CEU.


Restrições que o Executivo de Budapeste diz não existirem.

Em declarações aos jornalistas, János Lázár, ministro do Gabinete do primeiro-ministro, nega atacar a universidade em causa e diz que se a Universidade de Soros quer operar na Hungria, deve seguir as leis nacionais, mesmo que tenha de mudar de nome e fundar um campus nos Estados Unidos – o que é parte das exigências, com as novas leis.

János Lázár falou mesmo em exagero por parte da oposição e da opinião pública:

“Do nosso ponto de vista, há toda uma histeria, mesmo uma histeria política, em torno deste assunto. As universidades estrangeiras não podem induzir os estudantes em erro e não podem aproveitar-se das situações deles. Se operam na Hungria, devem obedecer às leis húngaras”, disse o membro do Governo de Viktor Órban.

Um ataque contra George Soros?

George Soros, filantropo e investidor internacional com dupla nacionalidade – Hungria e Estados Unidos – de 87 anos – é um dos empresários com mais sucesso em todo o mundo.

Europeista convicto, criticou abertamente as políticas do Governo nacionalista e crítico da UE do Fidezs e o primeiro-ministro Viktor Órban, em diversas ocasiões, assim como o presidente dos EUA, Donald Trump.


Há quem diga, na Hungria, que mais do que um ataque às instituições de ensino superior a operarem no país, ou contra a CEU em particular, as novas leis se destinam a atacar os valores pró-europa e liberais defendidos por George Soros.

Andrea Hajagos, correspondente da Euronews em Budapeste, conta que o apoio à universidade começou nas redes sociais, mas que já há uma manifestação prevista, para este sábado, a ter lugar nos edifícios da instituição.