Última hora

Em leitura:

Palestinianos voltam a manifestar-se contra os colonatos israelitas


Israel

Palestinianos voltam a manifestar-se contra os colonatos israelitas

O anúncio da construção de novos colonatos na Faixa de Gaza levou a que dezenas de palestinianos decidissem continuar a manifestar-se, esta sexta-feira.
Exigem uma tomada de posição mais efetiva das Nações Unidas e da comunidade internacional.

Criticam Israel e querem que sejam tomadas medidas contra o país:

“Esta ação significa que Israel está a voltar as costas ao Direito Internacional, a voltar as costas ao Conselho de Segurança das Nações Unidas e aos chamados esforços para um novo processo de paz. Na minha opinião, Israel não vai parar a menos que haja um boicote, um desinvestimento e sanções contra ele”, defende Mustafa Barghouti, político palestiniano.

O Primeiro-ministro israelita garantiu que será construído um novo colonato na Faixa de Gaza para albergar quem vivia em “Amona”, de onde as pessoas foram expulsas, em fevereiro último, por ordem do tribunal:

“Veremos o que vai acontecer se, de facto, as casas serão construídas, se esta decisão vai tomar forma ou, Deus nos livre, se ela não passará do papel. Nós estaremos atentos para ver se vai, realmente, acontecer e se, nas semanas seguintes, tudo o que é preciso ser feito será”, adianta Avichai Boaron, responsável pelo comité de Amona.

Na comunidade internacional são várias as vozes que se levantam contra mais esta iniciativa. O secretário-geral da ONU mostrou-se desapontado e inquieto. António Guterres afirma que, de acordo com o Direito Internacional, a construção de colonatos é ilegal e um obstáculo à paz.