Última hora

Parlamento húngaro aprova lei contra universidade de Soros

A lei parece feita à medida para a universidade criada pelo milionário húngaro-americano.

Em leitura:

Parlamento húngaro aprova lei contra universidade de Soros

Tamanho do texto Aa Aa

Com Andrea Hajagos, em Budapeste

O parlamento da Hungria adotou uma lei feita à medida contra George Soros, o milionário americano de origem húngara, que tem uma universidade no país.

A lei, proposta pelo partido do governo, o Fidesz, proíbe as universidades estrangeiras que não têm um campus no país de origem.

O ministro das capacidades humanas, Zoltán Balog, garante que a Universidade de Soros vai poder continuar a trabalhar: “Operar de acordo com a nova lei é possível. A lei deve aplicar-se a todos e esperamos que todos a respeitem. Mesmo as organizações de George Soros não podem estar acima das leis da Hungria”.

A Universidade da Europa Central, CEU, foi fundada por Soros nos anos 80 e é uma das mais prestigiadas da Hungria. Para o vice-reitor, Liviu Matei, a nova lei é um ataque indiscutível do governo contra Soros: “Houve, claramente, uma intenção de aprovar a lei o mais depressa possível sem ouvir ninguém. Nem os cidadãos húngaros, nem os académicos, as universidades e as organizações internacionais. Não ouviram ninguém. Agora, que aprovaram a lei, talvez queiram ouvir”.

Para os estudantes da universidade, a hora é de sair à rua em protesto contra esta lei. As palavras de ordem são dirigidas ao presidente János Áder para que vete o documento.

“Muitos manifestantes trouxeram cartazes com a palavra veto, porque querem que o presidente use o direito de veto e não promulgue esta lei que acaba de ser aprovada”, conta a correspondente da euronews em Budapeste, Andrea Hajagos.