Última hora

Em leitura:

Egito em estado de emergência depois de atentados


Egito

Egito em estado de emergência depois de atentados

A segurança das igrejas cristãs no Egito foi reforçada ao máximo, depois dos atentados mortíferos de domingo. No Cairo, o reforço militar é visível nas ruas. O mesmo acontece em Tanta, no Delta do Nilo. A igreja local foi um dos palcos dos atentados. A região de Gharbia nomeou um general, Tarek Hasouna, como novo chefe da segurança: “Implementámos mudanças para melhorar os serviços e conseguir um nível alto de segurança. Instalámos vários checkpoints à volta da Igreja. As forças de segurança estão a revistar todos aqueles que entram na igreja e nas ruas à volta”, disse.

Em Alexandria, onde aconteceu o outro atentado mortífero, alguns fiéis criticam a ação do presidente Sissi: “Quero perguntar ao presidente Sissi por que razão não declarou o estado de emergência duas semanas antes da Semana Santa. Só faz isso agora, que o crime aconteceu? Não digo que a culpa seja dele, mas o planeamento não foi bem feito”, diz um homem que perdeu um amigo no atentado de Alexandria.

Nesta cidade costeira, os mortos foram a enterrar esta segunda-feira. Os dois atentados, em plena celebração do Domingo de Ramos, fizeram 44 mortos – 27 em Tanta e 17 em Alexandria – e várias dezenas de feridos. Os ataques foram reivindicados pelo grupo terrorista Estado Islâmico, que ameaça cada vez mais as minorias cristãs dos países árabes.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

EUA

China aceita endurecer sanções à Coreia do Norte