Última hora

Em leitura:

Liga dos Campeões, 1/4F: Explosões atingem equipa e ferem jogador do Dortmund


Alemanha

Liga dos Campeões, 1/4F: Explosões atingem equipa e ferem jogador do Dortmund

A detonação de três dispositivos explosivos atingiu esta terça-feira o autocarro do Borussia de Dortmund, minutos após a saída da equipa do hotel para o estádio, onde iria defrontar AS Monaco, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Algumas janelas do autocarro partiram-se e Marc Bartra, defesa espanhol dos germânicos, sofreu cortes num dos braços e foi levado para o hospital.

O resto da equipa do Borussia, incluindo o português Raphael Guerreiro, foi levada de volta para o hotel em segurança.

Alguns jogadores do Borussia estariam em estado de choque, revelou o diretor-executivo do clube. “O autocarro da equipa foi alvo de um ataque com explosivos. Toda a equipa está em estado de choque. São imagens que não conseguimos apagar das nossas mentes”, assumiu Hans-Joachim Watzke.

“Temos de ultrapassar isto, mas não será fácil para os jogadores. O Borussia Dortmund é especialmente forte em situações extremas. Todos se vão unir ainda mais e tenho a certeza que a equipa sentirá isso”, concluiu o diretor..

Também o presidente do clube, Reinhard Rauball, mostrou-se confiante de que os jogadores vão conseguir superar o choque e jogar. “Pior seria que os autores deste ataque tivessem conseguido o seu propósito”, salientou.

O guarda-redes suíço do Borussia, Roman Burki, contou ao jornal digital Blick que a equipa saiu “do hotel por volta das 19h15” e que “quando o autocarro entrou na estrada principal, houve uma explosão”.

“Eu estava sentado na fila de trás, junto ao MArc Bartra. ele foi atingido pelos vidros partidos. Baixámo-nos todos e, os que conseguiram, atirarm-se para o chão do autocarro. Não sabíamos se mais alguma coisa tinha acontecido. A polícia foi rapida a acorrer ao local”, recordou, assumindo: “Estamos tofos em choque. Ninguém pensou em futebol naqueles minutos.”

Sentimento “terrível” no balneário do Mónaco

Este é um jogo que envolve ainda outros portugueses do lado do Mónaco, nomeadamente o treinador Leonardo Jardim e os jogadores João Moutinho e Bernardo Silva. Até ao momento nenhum deles reagiu publicamente ao sucedido.

O colombiano ex-FC Porto Radamel Falcao, atual capitão dos monegascos, já deixou, no entanto, uma mensagem nas redes sociais a garanbtir que “todos” estão “bem” e a desejar “uma rápida recuperação a Marc Bartra.”

À imprensa croata, o guarda-redes croata do Mónaco, Daniel Subasic, revelou que o sentimento no balneário era “terrível” após terem sido infomados por Leonardo Jardim do sucedido e do adiamento do jogo.

O início do jogo foi, entretanto, suspenso e a 15 minutos do apito incial surgiu a confirmaçao do adiamento da partida para esta quarta-feira, às 18h45 (menos uma hora em Lisboa).

O Borussia de Dortmund admite a devolução de bilhetes, mas lançou, entretanto, uma iniciativa solidária para os adeptos do Mónaco que pretendam manter-se na cidade para assistir ao jogo esta quarta-feira, mas não tenham onde dormir.

“Caros adeptos do AS Mónaco, se precisarem de acomodações em Dortmund utilizem a ‘hashtag’ #bedforawayfans (cama para adeptos visitantes)”, escreveu o clube alemão nas redes sociais.

A polícia está a investigar a origem dos explosivos para apurar se se tratou de um ataque direcionado à equipa do Borussia. Um “drone” foi também usado na vigilância do local onde ocorreram as explosões.

As autoridades avançaram não haver indícios de que o estádio, repleto de adeptos à espera do jogo, estivesse em perigo (“tweet” em baixo) e a evacuação do recinco decorreu sem problemas de maior.


AS Mónaco elimina (6-3) Borussia de Dortmund



O jogo da primeira-mão dos quartos de final da Liga dos Campeões entre Borussia de Dortmund e AS Mónaco realizou-se quarta-feira, 12 de abril, com o pontapé de saída às 18h45, exatamente duas horas antes dos dois jogos que fechavam esta ronda da “Champions”.

Privados do espanhol Marc Bartra, que foi inclusive operado na sequência dos ferimenos provocados pela explosão de véspera, os alemães foram derrotados (2-3) pelos monegascos.

No final, o treinador Thomas Tuchel criticou a UEFA por alegadamente ter imposto à equipa a realização do jogo menos de 24 horas após o ataque à bomba.

Uma semana depois, no Principado, o Borussia de Dortmund entrou determinado em reverter a eliminatória, mas o AS Mónaco, uma das equipas em melhor forma neste momento na Europa, voltou a triunfar. Agora, por 3-1.
A equipa dos portugueses Leonardo Jardim, João Moutinho e Bernardo Silva apurou-se para as meias-finais com um resultado agregado de 5-2 entre os dois jogos.



Tráfico humano na líbia: Migrantes africanos mantidos em cativeiro e vendidos como escravos sexuais

Líbia

Tráfico humano na líbia: Migrantes africanos mantidos em cativeiro e vendidos como escravos sexuais