Última hora

No Reino Unido, uma mulher, de 32 anos, foi presa por ter provocado um acidente quando conduzia com excesso de velocidade.

O veículo em que circulava embateu contra uma rotunda, tendo sido depois sido projetado pelo ar cerca cinco metros.

O carro de Tania terminou virado ao contrário do outro lado da rotunda, depois de colidir contra uma barreira de segurança. Deslizou, antes de ficar imobilizado, cerca de 50 metros.

A condutora foi ajudada por transeuntes, que conseguirar retirar o seu filho, um bebé de 19 meses, do veículo. A criança encontrava-se suspensa pelos pés na cadeira que ocupava, preparada para o transporte de bebés.

A polícia britânica confirmou à Euronews que a criança escapou ilesa.

As autoridades explicaram que Tania ultrapassou um camião pelo lado errado da via e que, por causa da manobra perigosa, não conseguiu acompanhar o sentido rotunda, ou seja, fazer a curva.

O acidente teve lugar 12 de dezembro de 2016, pouco antes do meio-dia.

Tania Chikwature declarou-se culpada perante o tribunal, que a acusou de condução temerária e de conduzir sob efeito do álcool. Deverá cumprir uma pena de seis meses e duas semanas. Terá ainda de pagar uma taxa ao tribunal no valor equivalente a 120 euros.

Chikwature recusou submeter-se a um teste de alcoolemia, mas foi-lhe retirada, posteriormente, uma amostra de sangue, que revelou um nível de álcool no sangue três vezes superior ao limite estabelecido pela lei britânica.

O condutor do camião ultrapassado por Tania disse aos jornalistas ter pensado ser testemunha de um acidente fatal, que descreveu como algo nunca antes por ele visto:

“Conduzo há 32 anos e esta foi a condução mais perigosa de que fui testemunha até hoje.”