Última hora

A produção mundial de vinho caiu 3,2% em 2016: 267 milhões de hectolitros (Mhl), contra os 276 Mhl em 2015. De acordo com dados divulgados esta terça-feira em Paris pela a Organização Internacional da Vinha e do Vinho , em Portugal, no ano passado, registou-se uma quebra de 15% na produção em comparação com 2015. Mas no Brasil, por exemplo, descida foi ainda mais acentuada, 55% e é justificada pelas alterações climáticas.

Na lista dos maiores produtores mundiais, Itália continua no topo da lista, seguida por França, Espanha e Estados Unidos. Portugal aparece na 11ª posição.

No que diz respeito ao consumo não houve grande variação, mantém-se estável. Portugal ocupa uma posição não muito diferente, é 12º numa tabela que é liderada pelos norte-americanos, seguidos dos franceses, italianos e alemães.

Já o volume de negócios gerado por este setor, mesmo com a quebra na produção, registou-se um aumento das receitas, mais 2%. Um sinal de que os preços dos vinhos estão a subir.

Destaque ainda para a superfície vitivinícola mundial, que estabilizou nos 7,5 milhões de hectares.
Cinco países representam mais de 50% da superfície dedicada aos vinhos: Espanha, China, França, Itália e Turquia.