Última hora

Em leitura:

Jacob Zuma face à garra da oposição


África do Sul

Jacob Zuma face à garra da oposição

Dezenas de milhares de pessoas manifestam nas ruas de Pretória para exigir a demissão do presidente sul-africano, Jacob Zuma.

Trata-se de uma nova acção de protesto da oposição, antes da votação de uma moção de censura no parlamento.

A menos de uma semana após a primeira vaga de manifestações em várias cidades da África do Sul, uma marcha atravessa a capital para terminar junto à sede do governo, com os participantes a pedirem a demissão do presidente.

“Se não querer Zuma é racismo, então somos racistas. Se não querer Zuma è receber dinheiro de pessoas brancas então recebemos dinheiro de pessoas brancas, estamos orgulhosos de ter recebido esse dinheiro de pessoas brancas, porque quem financia a luta contra a corrupção é patriota.”

A manifestação é liderada por militantes da Aliança Democrática (DA) e dos Combatentes pela Liberdade Económica (EFF), os dois principais partidos contra o Congresso Nacional Africano (ANC) no poder.

Implicado numa série de casos de corrupção, o chefe de Estado enfrenta uma nova vaga de agitação política desde a remodelação do governo feita a 30 de Março.

A demissão do ministro das Finanças Pravin Gordhan, que se opunha a Zuma em nome da transparência da gestão dos fundos públicos, provocou a cólera da oposição e a degradaçáo da classificação financeira da África do Sul.

A remodelação provocou também uma crise aberta no seio do ANC.

Zuma acusa os manifestantes de serem “racistas”, embora nas manifestações tenham estado representadas todas as etnias, religiões e culturas do país.

O ANC, que dispõe de uma confortável maioria de 249 lugares em 400 no parlamento, prometeu rejeitar a moção de censura, cuja votação está prevista para o próximo dia 18.