Última hora

Última hora

GBU-43: "A mãe de todas as bombas"

Os Estados Unidos utilizaram a maior bomba não-nuclear numa série de cavernas e bunkers do Daesh, no leste do Afeganistão.

Em leitura:

GBU-43: "A mãe de todas as bombas"

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos utilizaram a maior bomba não-nuclear numa série de cavernas e bunkers do Daesh, no leste do Afeganistão.

É a primeira vez que os militares norte-americanos recorrem à bomba GBU-43 numa missão militar. Uma bomba também conhecida como a “mãe de todas as bombas”.

USA-AFGHANISTAN/BOMB

Com nove metros de comprimento e pouco mais de um metro de largura, a bomba pesa mais de 9,700 Kg e pode carregar cerca de 8,5 mil kg de explosivos.

A bomba de precisão é muito grande para ser transportada por aviões militares convencionais do arsenal dos Estados Unidos. O seu raio de explosão é de mais de um quilómetro e meio.

A bomba lançada na província de Nangarhar, no Afeganistão, perto da fronteira com o Paquistão, foi transportada num avião MC-130 – o mesmo tipo de avião utilizado para reabastecer helicópteros de combate.

Foram criadas 20 bombas GBU-43. Cada uma custa, aproximadamente, 15 milhões de euros. Ao anunciar os ataques, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, disse que a bomba faz parte da estratégia continuada dos EUA na região.

“Os Estados Unidos levam muito a sério a luta contra o Daesh e, para derrotar o grupo, temos de reduzir o espaço para as operações – foi o que fizemos”, disse Spicer.