Última hora

Em leitura:

Hungria: estudantes regressam às ruas para protestarem contra polémica lei das ONGs


Hungria

Hungria: estudantes regressam às ruas para protestarem contra polémica lei das ONGs

Pela quarta vez em duas semanas dezenas de milhar de estudantes húngaros manifestaram-se contra o governo relativamente a uma lei polémica sobre ONGs que poderá ter consequências negativas sobre várias organizações incluindo universidades que operam no país.

No centro da controvérsia está a Universidade da Europa Central, fundada pelo multibilionário de origem húngara, George Soros.

“Ambos os tópicos são importantes, as ONGs e a Universidade da Europa Central, mas em geral eu quero protestar contra o processo ditatorial conduzido pelos governos no poder, é por isso que estou aqui”, disse um jovem que participou no protesto realizado na Praça dos Heróis.

“O governo atual já deveria ter dado conta de que não tem lugar neste mundo. Vivemos num mundo multivariado. Se eles se esqueceram que foi assim que cresceram, e não o querem aceitar, devem ir-se embora. Vivemos aqui e queremos ficar aqui. Na Europa”, disse outra participante.

A Praça dos Heróis em Budapeste foi onde o protesto decorreu. A repórter da euronews, Andrea Hajagos, afirma que os manifestantes formaram um coração no meio da praça com a palavra civil no meio a simbolizar o trabalho das ONGs, algo visto pelas pessoas como importante.

Um grupo de manifestantes manifestou-se ainda em frente à sede do partido Fidesz gritando palavras de ordem contra o partido no poder.

O protesto terminou na praça do parlamento com cerca de dois milhares de pessoas.

No centro da polémica estão visões antagónicas sobre o futuro da Hungria. A instituição fundada por Soros assenta no ideal de uma “sociedade aberta”, ideia que contrasta com a noção de “democracia iliberal” defendida pelo primeiro-ministro Viktor Órban.

A lei em causa foi submetida ao parlamento na semana passada. O governo propõe uma nova regulação que dificultará o trabalho das ONGs no país. Segundo a proposta submetida ao parlamento na sexta-feira passada, as ONGs financiadas a partir do estrangeiro independentemente de organismos financeiros húngaros terão que efetuar um registo adicional.

De acordo com o governo, as organizações que apoiam a imigração são financiadas a partir do estrangeiro, algo que segundo o governo, é preciso levar em linha de conta. A proposta legislativa assenta sobre uma legislação norte-americana que regula o registo de entidades estrangeiras nos EUA.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Rússia

EUA e Rússia prometem melhorar relações mas diferendo sobre Síria persiste