Última hora

Em leitura:

#LigaPortuguesa J29: FC Porto deixa fugir Benfica e torce pelo Sporting


Desporto

#LigaPortuguesa J29: FC Porto deixa fugir Benfica e torce pelo Sporting

O FC Porto tropeçou em Braga e deixou o Benfica fugir na liderança do campeonato. Os “dragões” ficam agora a torcer pelo Sporting, no dérbi da próxima ronda.

Os azuis-e-brancos entraram na “pedreira” 24 horas após as “águias” terem vencido o Marítimo e sabiam que não podiam facilitar. Os “guerreiros” do Minho também, devido ao triunfo do Guimarães em Chaves.

Acabaram por ser os anfitriões a começar melhor, com Pedro Santos a abrir o marcador logo aos seis minutos. Os visitantes procuraram reagir, mas esbarraram numa muralha defensiva bem organizada por Jorge Simão.


Brahimi era o único portista a revelar arte para “furar” a muralha, mas exagerou no esforço individual.

André André não foi o organizador que a equipa precisava, André Silva, encostado à direita, andou muito escondido e Soares pouco se viu.


O jogo progrediu aguerrido, mas sem muita qualidade. Sobre os 45 minutos, Óliver Torres ajeitou a bola com a mão na área e o árbitro assinalou penálti. Pedro Santos enganou Casillas, mas acertou em cheio no poste.

Talvez animado pela sorte, na segunda parte o FC Porto surgiu melhor. E ganhou criatividade com a troca de Óliver por Jesus Corona. O mexicano mexeu com o jogo e, aos 61, Soares empatou.



Os “dragões” ganharam confiança e mantiveram pressão alta em busca da reviravolta. O Braga jogava em contra-ataque e defendia-se com unhas e dentes.

Para os últimos cinco minutos, Nuno Espírito Santo tirou estranhamente Brahimi e apostou em Otávio. O argelino acabaria expulso no banco por alegados protestos após lance em que Soares tentou iludir o árbitro para ganhar uma grande penalidade.


O FC Porto não conseguiu desfazer o empate e fica a três pontos do líder. O Braga deixou o Guimarães isolar-se no quarto lugar, com mais dois pontos.

Benfica soma e segue

O Benfica desembaraçou-se com relativa facilidade, esta Sexta-feira Santa, do Marítimo. A uma semana de visitar o Sporting, as “águias” chegaram ao intervalo a vencer, por 3-0, e os três pontos praticamente assegurados.


Os insulares vinham de uma importante vitória em Chaves, mas na Luz foram presa fácil do tricampeão. Num jogo de sentido único, um autogolo de Luís Martins abriu o marcador e um bis Jonas fixaram o resultado ao intervalo.

Na segunda parte, o Marítimo continua a fazer pouco para alterar o rumo da partida e o Benfica passou a gerir.


O 3-0 final, permite ao Benfica manter-se na liderança e ir a Alvalade com os mesmos oito pontos de vantagem sobre o Sporting.

Sporting vence em Setúbal

O Sporting visitou o Bonfim com Adrien e Gelson de regresso ao “11”. Bryn Ruiz e Daniel Podence foram os “sacrificados” e a equipa ressentiu-se sobretudo da ausência do pequeno avançado, um dos principais responsáveis pela boa exibição da equipa na jornada anterior.


O Setúbal teve uma boa entrada no jogo, aproveitando as dificuldades reveladas pelos “leões” em pegar no jogo. Como se esperava, Gelson era o mais procurado para desequilibrar e acabou por ser ele o “matador” que desbloqueou a equipa.

Aos 20 minutos, Bruno César cruzou, Bas Dost atrapalhou Bruno Varela, os defesas sadinos desorientaram-se e Gelson abriu o marcador. O Sporting tranquilizou-se e chegou ao intervalo a ganhar.

Na segunda parte, em 20 minutos os “leões” resolveram o jogo. Num canto de Bruno César, William Carvalho marcou de cabeça o segundo golo no campeonato.


Pouco depois, aos 62 minutos, num contra-ataque, Alan Ruiz, pela direita, serviu de trivela e Bas Dost assinou o 28.° golo na Liga.


Em risco de falhar o dérbi se visse um amarelo, Gelson foi substituído, mas não foi Podence a entrar, foi Bryan Ruiz. Jesus voltou a retrair a equipa e a distancia-la de Bas Dost.

Com o Setúbal rendido, o jogo só reanimou nos últimos 10 minutos. Claro, com Podence já em campo. Os “leões” mantêm-se em terceiro, a oito pontos do Benfica, mas agora apenas a cinco do FC Porto. Os sadinos continuam em nono.


Dérbi da linha sorriu ao Estoril

A jornada abriu pelas 17:00 de sexta-feira, com as visitas do Estoril a Belém e a do Paços de Ferreira ao Bessa. No Restelo, os “canarinhos” abriram o marcador aos 10 minutos, por Kléber, beneficiando das facilidades concedidas pelo guarda-redes Cristiano.

Aos 22 minutos, Maurides empatou de cabeça, mas logo na resposta Allano voltou a adiantar o Estoril. Aos 83, Carlinhos fixou o 1-3 final, que deixa os “canarinhos”, à condição, oito pontos acima da linha de água e a apenas quatro pontos do Belenenses, 12.°.

No Bessa, um jogo intenso nos primeiros 45 minutos, com o Boavista a falhar um penálti e depois a ficar reduzido a 10 jogadores devido à expulsão de Idriss (dois amarelos), acabou sem golos, com o Paços de Ferreira a ficar, também à condição claro, nove pontos acima dos lugares de descida e o Boavista a meio da tabela, em 10.°, acima do Feirense.

Guimarães “sozinho no quarto”


A visita do Guimarães a Chaves era um dos jogos de maior expectativa da ronda e as equipas confirmaram-no em campo. Os “conquistadores” chegaram ao intervalo a vencer 0-3, com golos de Teixeira, Hernâni e Hurtado. Nos últimos quinze minutos, os flavienses conseguiram reduzir para 2-3, por Lopes e Willian.

O Guimarães isolou-se no quarto lugar. O Chaves confirmou, matematicamente, o adeus à luta pelos lugares europeus.

À mesma hora, o Arouca recebeu e venceu o Feirense. Um bis de Kuca, aberto com um penálti que deixou muitas dúvidas, permitiu à equipa de Petit colocar-se em posição confortável na luta pela manutenção, com a equipa de Santa Maria da Feira já praticamente a salvo.

Ao início da noite de sábado, diante do Rio Ave, o “lanterna vermelha” Tondela conquistou o quarto triunfo da temporada e colocou pressão sobre os principais rivais, Nacional e Moreirense, que se defrontaram segunda-feira na Madeira.

Ao autogolo de Marcelo, os vila-condenses responderam por Krovinovic sobre o intervalo. Aos 62 minutos, Osório confirmou o triunfo do Tondela.

Tal como o Marítimo, o Rio Ave perdeu a chance de se aproximar ainda mais da discussão pelos lugares europeus e acabaram até um ponto mais longe.

No jogo de enceramento da jornada, o Moreirense foi à Choupana conquistar três importantes pontos na luta pela manutenção. Uma semana após a primeira vitória da “era” João de Deus, o terceiro treinador da temporada, o Nacional foi incapaz de fazer frente à noite inspirada dos cónegos.

Logo aos 15 minutos, um excelente lance individual de Pedro Rebocho, na meia esquerda, culminou com um cruzamento de régua e esquadro para David Ramirez. O costa-riquenho, de 23 anos, assinou o segundo golo em 19 jogos na presente edição do campeonato português.

O Moreirense foi sempre a equipa mais perigosa no relvado e colocou-se, com mérito, quatro pontos acima da linha de água. Nacional e Tondela seguem em lugar de descida, empatados com 20 pontos.

Desporto

Real e Bayern: Choque de titãs no Bernabéu