Última hora

Em leitura:

Theresa May precipita eleições para confirmar governo do "Brexit"


Reino Unido

Theresa May precipita eleições para confirmar governo do "Brexit"

Os britânicos vão regressar às urnas quase um ano após terem aprovado, em referendo, a saída do país da União Europeia.

A primeira-ministra Theresa May anunciou, esta terça-feira, a convocação de eleições antecipadas para dia 8 de junho.

Uma decisão justificada pela responsável com a necessidade de reforçar a sua posição negocial nas discussões do “Brexit” com a União Europeia, que deverão prolongar-se por, pelo menos, dois anos.

Uma escolha que levanta várias questões, nas ruas de Londres, tanto sobre as consequências do voto como sobre as motivações da primeira-ministra.

Um residente de Londres, afirma:

“Penso que é uma boa decisão da parte dela. Mas penso também que vamos voltar a debater a questão do ‘Brexit’, o papel do parlamento e essas questões, pois o país vai voltar a exprimir-se sobre o tema”.

A convocação do sufrágio ocorre num momento em que quase metade dos britânicos (47%) aprova a gestão do dossiê por parte da primeira-ministra, segundo as sondagens.

“Penso que a decisão está relacionada com a debilidade da oposição neste momento e acho que não é uma boa notícia para o país o facto de não existir uma alternativa credível”, afirma outro londrino.

A decisão de May vai ser submetida esta quarta-feira ao parlamento, onde deverá ser aprovada, com o apoio da oposição dos Trabalhistas e dos Liberais-Democratas.

O início das negociações de Londres com a União Europeia está previsto para o dia 23 de maio, nos últimos dias de uma campanha eleitoral onde se deverá reabrir o debate do “Brexit”, mas também da independência da Escócia e da União do país.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

França

França: Detidos suspeitos de preparar "atentado iminente"