Última hora

Em leitura:

Costa Concordia: Francesco Schettino volta ao tribunal


Itália

Costa Concordia: Francesco Schettino volta ao tribunal

O Supremo Tribunal italiano começou, esta quinta-feira, a rever a sentença de 16 anos de prisão do comandante do cruzeiro Costa Concordia que naufragou em janeiro de 2012, ao largo de Itália, provocando a morte de 32 pessoas.

Espera-se que os juízes profiram a sentença definitiva no final do mês de maio.

Francesco Schettino recorreu da sentença de 16 anos de cárcere alegando que a sua manobra evitou uma tragédia maior.

O antigo comandante foi condenado, em fevereiro de 2015, por homicídio, abandono do navio e naufrágio pelos juízes do tribunal de Grosseto, na Toscana.

Um tribunal de Florença confirmou, em segunda instância, a sentença de Schettino, em 2016.

O Supremo Tribunal italiano analisa agora os recursos do ministério público, que pediu 27 anos de prisão, e dos advogados do antigo comandante, que pediram a absolvição.

Francesco Schettino encontra-se em liberdade, esperando a confirmação da sentença de cárcere ou a absolvição. Entretanto, o antigo comandante do Costa Concordia tornou-se um autor bestseller com Le veritià sommerse (As verdades submersas, em português), onde narra a sua versão da história.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Venezuela

Instabilidade na Venezuela: Fábrica da GM confiscada e emissões de três TV suspensas