This content is not available in your region

E.U.A. querem conter ambições nucleares do Irão

Access to the comments Comentários
De  Euronews
E.U.A. querem conter ambições nucleares do Irão

<p>Apenas um dia depois de afirmar ao Congresso que o Irão está a cumprir o acordo nuclear conseguido em 2015, o secretário de estado Rex Tillerson deixou claro que, em última análise, o acordo não impedirá o Irão de se tornar numa potência nuclear.</p> <p>Tillerson fez uma rara declaração aos jornalistas esta quarta-feira, apontando o dedo às ambições nucleares do Irão e ao apoio dado a forças anti-americanas no Médio Oriente, deixando clara a ideia de que o Irão representa uma ameaça: “Os indícios são claros: as acções provocadoras do Irão ameaçam os Estados Unidos, a região e o mundo. Como disse no início, a administração Trump está no momento a rever detalhadamente a política face ao Irão. Assim que tivermos as nossas conclusões, abordaremos os desafios que o Irão representa com clareza e convicção.”</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Secretary Tillerson: “An unchecked <a href="https://twitter.com/hashtag/Iran?src=hash">#Iran</a> has the potential to travel the same path as North Korea.” <a href="https://t.co/G7OZY6Zde7">https://t.co/G7OZY6Zde7</a></p>— Department of State (@StateDept) <a href="https://twitter.com/StateDept/status/854825107952414723">April 19, 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Tillerson declarou ainda que um Irão não controlado poderia tomar o rumo da Coreia do Norte, para além de agravar conflitos como os do Iemen, Síria, Iraque e Líbia. Quanto ao acordo nuclear feito em 2015 pela administração Obama, Tillerson afirmou que tinha conseguido ganhar um curto período de tempo mas que ignorava outras acções iranianas desestabilizadoras. </p> <p>Mesmo estando a cumprir o acordo de 2015, o Irão tem de ser controlado nas suas ambições nucleares, diz Rex Tillerson. O secretário de estado americano compara o Irão à Coreia do Norte.</p>