Última hora

Em leitura:

Polícia alemã detém suspeito do ataque à equipa do Borussia de Dortmund


Alemanha

Polícia alemã detém suspeito do ataque à equipa do Borussia de Dortmund

A polícia alemã anunciou a detenção de um cidadão russo residente na Alemanha como principal suspeito do ataque à bomba contra o autocarro da equipa de futebol do Borussia de Dortmund.

A explosão de três engenhos explosivos deu-se pelas 19:16 horas — menos de duas horas do início do jogo com o AS Mónaco, da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

De acordo com as autoridades, o suspeito chama-se Sergej W., de 28 anos, reside na região de Baden-Württemberg e era procurado desde 13 de abril, dois dias após o presumível atentado, por 20 acusações de tentativa de homicídio e uma de responsabilidade na indução de explosão.

O suspeito foi detido esta sexta-feira, por volta das 06:00 da manhã locais (menos uma hora em Lisboa), pouco antes dele chegar ao trabalho. As operações de busca prosseguiam em quatro casas, envolvendo vários agentes numa ação coordenada pela polícia federal (“Bundeskriminalamt”) e as polícias nacionais de Baden-Württemberg e Renânia do Norte-Vestfália. Um procurador federal acompanha os trabalhos de investigação.

A polícia adiantou que o presumível autor do ataque teria adquirido no mesmo dia do ataque o direito de venda de um total de 15.000 ações da sociedade do clube de Dortmund, com prazo de vencimento até 17 de junho de 2017, pago com um crédito que este cidadão russo havia contraído na semana anterior.

As autoridades alemãs explicam que o suspeito esperava que o valor das ações do clube perdessem valor de forma considerável e com isso lucrar consideravelmente com o preço fixado previamente na aquisição dos direitos de venda dos mesmos.

Sergej W. é suspeito de ter sido o responsável pelos três engenhos explosivos caseiros, repletos de pregos, que explodiram à passagem do autocarro da equipa do Borussia de Dortmund, no trajeto entre o hotel e o respetivo estádio, onde os alemães iriam enfrentar o AS Mónaco.

No ataque, ficou ferido apenas o jogador espanhol Marc Bartra, do Borussia. O jogo foi adiado para o dia seguinte (quarta-feira, 12) e os alemães acabariam por perder (2-3) diante da equipa de Leonardo Jardim, João Moutinho e Bernardo Silva.

AS Mónaco elimina (6-3) Borussia de Dortmund


O jogo da primeira-mão dos quartos de final da Liga dos Campeões entre Borussia de Dortmund e AS Mónaco realizou-se quarta-feira, 12 de abril, com o pontapé de saída às 18h45, exatamente duas horas antes dos dois jogos que fechavam esta ronda da “Champions”.

Privados do espanhol Marc Bartra, que foi inclusive operado na sequência dos ferimenos provocados pela explosão de véspera, os alemães foram derrotados (2-3) pelos monegascos.

No final, o treinador Thomas Tuchel criticou a UEFA por alegadamente ter imposto à equipa a realização do jogo menos de 24 horas após o ataque à bomba.

Uma semana depois (quarta-feira, 19 de abril), no Principado, o Borussia de Dortmund entrou determinado em reverter a eliminatória, mas o AS Mónaco, uma das equipas em melhor forma neste momento na Europa, voltou a triunfar. Agora, por 3-1.

A equipa dos portugueses Leonardo Jardim, João Moutinho e Bernardo Silva apurou-se para as meias-finais com um resultado agregado de 6-3 entre os dois jogos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Bielorrússia

Fome com comida em orfanatos da Bielorrússia