Última hora

Em leitura:

Rússia: movimentos militares junto à fronteira são "assunto interno"


Rússia

Rússia: movimentos militares junto à fronteira são "assunto interno"

As movimentações de veículos e helicópteros militares russos registadas em Vladivostok e Slavyanka, junto da fronteira com a Coreia do Norte, foram desmentidas pelas autoridades russas como sendo uma agregação de poderio militar face à tensão crescente na península coreana.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, remeteu as movimentações militares para política interna, mas não deixou de fora o cenário internacional: “O assunto do posicionamento ou reposicionamento de tropas dentro do país não entra no domínio de assunto público. Qualquer país no processo de construção da sua própria segurança reage a mudança na situação internacional.”

Na próxima terça feira, a Coreia do Norte assinala os 85 anos do Exército Popular Coreano, o que faz com que a Coreia do Sul expresse uma preocupação cada vez maior.

A península coreana assemelha-se cada vez mais a um barril de pólvora, depois de a Coreia do Norte ter feito testes com armas nucleares e mísseis e ter-se declarado pronta para fazer face aos Estados Unidos.

Recorde-se que até ao final de Abril, os Estados Unidos levarão a cabo os exercícios militares previstos com a Coreia do Sul.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adoptou esta quinta-feira uma resolução condenando firmemente o mais recente lançamento de um míssil pela Coreia do Norte e ameaçou o regime comunista de poder a levantar mais sanções, desta feita com um compromisso da Rússia, sem recurso a veto por parte desta.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Venezuela

Pilhagem de padaria na Venezuela acaba com 11 mortos